Sensor Kinect pode funcionar como método mais barato de análise de Big Data

Por Redação | 26 de Maio de 2014 às 10h55

Quando a Microsoft lançou o Kinect para o Xbox 360, talvez a empresa não tivesse imaginado que o acessório fosse ganhar inúmeras funções além dos jogos. Hoje o periférico já é usado por inúmeros setores, desde a área médica até a militar. Novas aplicações para o sensor de movimentos não param de surgir e uma delas começará a ser usada em breve no setor corporativo.

Segundo o site InformationWeek, a multinacional de logística DHL decobriu que o mecanismo de captura presente no Kinect também pode ser utilizado para análise de Big Data. O diretor de pesquisa e desenvolvimento da companhia, Dr. Marcus Kückelhaus, descreveu em um documento do final de 2013 que o gadget da Microsoft, lançado em 2010, teria como objetivo escanear volumes e outras estruturas tridimensionais para gerenciar o uso de espaço em armazéns, caminhões, navios e aviões.

Kückelhaus e o co-autor do relatório, Martin Wegner, destacam que o Kinect foi o primeiro aparelho capaz de analisar corpos em três dimensões que chegou ao consumidor final. Ou seja, o acessório é o primeiro disponível no mercado por um preço bem menor e com os mesmos fins que outras soluções usadas pela empresa anteriormente. Para os executivos, a digitalização de volume e estruturas 3D é algo essencial para empresas de logística, ainda mais pelo alto investimento em equipamentos com esse objetivo.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A DHL realizou os primeiros testes com um Kinect em uma central de distribuição. "Instalamos o sensor em cima de uma epilhadeira. Cada estrutura que passava pelo veículo tinha seu volume automaticamente analisado", explica Kückelhaus. Segundo ele, o método ajudou a companhia a economizar tempo para encontrar o melhor local para aquela estrutura e, como resultado final, deixou tudo mais organizado do que o procedimento comum adotado pelas corporações.

A solução baseada no Kinect cortou pela metade a quantidade de tempo de digitalização dos itens a serem armazenados. Além disso, a técnica saiu bem mais em conta que o processo envolvendo o escaneamento por laser. Nos Estados Unidos, a primeira versão do Kinect vendido sozinho, sem o Xbox 360, custa em média US$ 99.

"O uso do Kinect é uma boa demonstração de que o aparelho não é apenas algo para brincar, mas uma solução que poderia representar uma grande mudança na indústria de logística", conclui Kückelhaus.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.