EMC inaugura Centro de P&D e anuncia acordo de SmartCity com Prefeitura do Rio

Por Redação | 15 de Maio de 2014 às 13h03

A EMC Corporation inaugurou nesta quarta-feira (14), no evento Big Data Summit no Rio de Janeiro, o Centro de Pesquisa Richard J. e Maureen E. Egan, que se focará em estudos sobre Big Data. O prédio, localizado no Parque Tecnológico da UFRJ, é parte do investimento de US$ 100 milhões que a empresa fará no país, e será o hub de inovação da empresa no setor de petróleo e gás.

O Centro de P&D no Brasil será responsável pela coordenação das atividades da EMC em todo o mundo na descoberta de novas tecnologias e soluções no setor de petróleo e gás para aquisição, mobilidade, análise, colaboração e visualização de dados geofísicos, geológicos, de engenharia e de negócios utilizados ao longo do ciclo de vida no setor.

Localizado na Ilha do Fundão, o empreendimento ocupa 3 mil m², tem capacidade para mais de 80 pesquisadores e integra um Centro de Pesquisa Aplicado, laboratórios de desenvolvimento de soluções e um Executive Briefing Center. Também há um espaço alocado para o desenvolvimento de pesquisas feitas por clientes e parceiros em conjunto com a EMC. O edifício, que foi projetado pelo arquiteto brasileiro Paulo Musa, atende aos padrões LEED (Leadership in Energy and Environmental Design, ou liderança em energia e design ambiental), que engloba elementos sustentáveis em eficiência energética, conservação de água e espaço verde.

Já em atividade desde a sua construção, o Centro de P&D trabalha em diversos projetos que visam inovação. As iniciativas são focadas na aplicação de tecnologias de armazenamento, recuperação, computação em nuvem, Big Data e temas importantes para o setor de petróleo e gás. Atualmente, os projetos gerenciados pelo centro se concentram na otimização de plataformas I/O dentro de ambientes de processamento sísmico, tecnologias de análise lógica preditiva que integram dados históricos e de tempo real utilizados na perfuração de poços de petróleo, produção e operações de logística, visualização e colaboração em distâncias extremas para melhor análise dos workflows (entre continentes) e tecnologias de compressão sem perda de dados sísmicos. Resultados iniciais destes projetos já foram convertidos em propriedade intelectual e registrados no país e nos Estados Unidos.

A iniciativa da EMC no país é um dos quatro centros de pesquisa no Brasil que participa do Programa Estratégico de Software e Serviços de TI do Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovação (MCTI). A decisão da EMC de situar seu novo e avançado Centro de P&D no Parque Tecnológico da UFRJ é o resultado da colaboração entre o município e o Estado do Rio de Janeiro a fim de atrair empresas de alta tecnologia para a cidade.

A cerimônia de inauguração contou com a participação de autoridades, como Virgilio Almeida, Secretário de Política de Informática do Ministério de Ciência e Tecnologia; Luiz Fernando Pezão, governador do Rio de Janeiro; Alexandre Vieira, secretário de Ciência e Tecnologia do Estado do Rio de Janeiro; e Franklin Coelho, o secretário de Ciência e Tecnologia da cidade do Rio de Janeiro. Além das autoridades políticas, estiveram presentes altos executivos da EMC como Brian Gallagher, presidente mundial da Divisão de Enterprise e Middle Range Storage; Joel Schwartz, vice-presidente sênior e gerente-geral de Desenvolvimento de Novos Negócios; e Karin Breitman, cientista-chefe do Centro de P&D em Big Data da EMC no Brasil.

“Esse é o primeiro centro de pesquisa e desenvolvimento entregue por meio do TI Maior, que é o Programa Estratégico de Software e Serviços de TI do Governo Federal. A construção do caminho em direção ao Big Data e a internet das coisas no Brasil depende das empresas, das parcerias público-privadas e de uma ação orquestrada com o governo através de vários ministérios e órgãos”, afirma Virgilio Almeida, Secretário de Política de Informática do Ministério de Ciência e Tecnologia.

“O Centro de P&D em Big Data reforça o compromisso da EMC de utilizar o Big Data para entender melhor as áreas de oportunidade e gerar novas tecnologias para o setor de petróleo e gás. Continuaremos a investir no Brasil para desenvolver soluções de TI que possam ser utilizadas pelo setor mundial a fim de beneficiar nossos clientes ao redor do mundo”, afirma Brian Gallagher, presidente mundial da Divisão de Enterprise e Middle Range Storage da EMC. “Hoje, a EMC é vista como uma das empresas mais inovadoras do mundo e investe 12% da sua receita anual em novas tecnologias. Com o Centro de P&D em Big Data damos mais um passo nesta jornada para posicionar a EMC como um player de destaque em inovação dentro do setor de petróleo e gás”, destaca Joel Schwartz, vice-presidente sênior e gerente-geral de Desenvolvimento de Novos Negócios da EMC.

“Agora que inauguramos o Centro da EMC na Ilha do Fundão, esperamos descobrir tecnologias disruptivas no país. O aproveitamento de talentos locais e a união entre a indústria e a academia são fundamentais em cada um dos nossos projetos. Rodeado por um ecossistema composto por empresas com foco em petróleo e gás, serviço de campo de petróleo, engenharia e startups dentro do Parque Tecnológico UFRJ, a EMC está bem posicionada para oferecer uma nova visão e inovação a este setor global”, afirma Karin Breitman, cientista-chefe do Centro de P&D em Big Data da EMC.

Cooperação técnica

Já foram estabelecidas parcerias com empresas locais e multinacionais, além de universidades. Durante o evento de inauguração do Centro, a EMC anunciou o acordo de cooperação conjunta com a cidade do Rio de Janeiro para criar e validar plataformas de tecnologia SmartCity.

Por meio do Acordo de Cooperação Técnica, a EMC colaborará com a cidade do Rio de Janeiro para empreender iniciativas conjuntas relacionadas à pesquisa, desenvolvimento e validação de plataformas de Big Data criadas pela empresa. Esses projetos terão alcance e benefícios globais, ajudarão a tornar o setor de TI no Brasil um importante pilar para o desenvolvimento econômico e social e aumentarão a competitividade e a posição internacional do país no setor de tecnologia da informação.

“Essa é uma união estratégica para a consolidação de um novo sistema de gestão da informação urbana com foco em Cidades Inteligentes. Não só informação em tempo real, mas também análises e simulações baseadas nas séries históricas dos dados, pensando em seu redirecionamento e em sua ligação com os indicadores que garante uma cidade ágil, sustentável e resiliente. Essa parceria une a expertise da EMC em organização de Big Data com o Programa Estratégico do Rio de Janeiro para a consolidação da cidade em território inteligente”, afirma o secretário de Ciência e Tecnologia da Cidade do Rio de Janeiro, Franklin Coelho.

“Estamos contentes em trabalhar com a cidade do Rio nessa importante iniciativa que irá criar, validar e promover a adoção de tecnologias inovadoras para cidades inteligentes. Parcerias e projetos como estes fazem parte de nossa estratégia global para ajudar os clientes a fazerem uso inovador de suas informações, a fim de promover níveis mais altos de produtividade e dar margem a novas ideias. Acreditamos que nosso relacionamento cooperativo com a cidade do Rio contribuirá para que o Brasil se torne um importante colaborador em pesquisa de Big Data”, ressalta Karin Breitman, cientista-chefe do Centro de P&D de Big Data da EMC no Rio.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.