Artista quer imprimir toda a internet em homenagem ao ativista Aaron Swartz

Por Redação | 11.06.2013 às 07:50
photo_camera Mashable

O artista plástico Kenneth Goldsmith tem planos de homenagear o ativista Aaron Swartz, que cometeu suicídio aos 26 anos de idade após ser condenado a 50 anos de reclusão e multa de US$ 4 milhões (R$ 8,5 milhões) por ser responsabilizado pela invasão de computadores do MIT, e para isso ele quer imprimir a internet inteira. O projeto não está sendo bem recebido pelos ambientalistas devido à grande quantidade de papel que deverá ser usada no projeto. As informações são da CNET.

"Eu não o conhecia muito, mas, como milhões de outras pessoas, eu fui tocado pelo seu trabalho e vida", afirmou Goldsmith, ressaltando o trabalho de Aaron Swartz em prol de uma internet mais aberta. "Como muitas pessoas hoje em dia, ele estava trabalhando para liberar as informações que devem ser de domínio público, feita gratuitamente a todos. Mas ele foi perseguido por um ato que nasceu da generosidade. É uma lição para todos nós, aquele que nos faz querer lutar ainda mais para o livre acesso de informações vitais à cultura".

A ideia do projeto, intitulado 'Printing out the Internet' (algo como imprimindo a internet, em tradução livre), é fazer com milhares de pessoas colaborem escolhendo algum conteúdo que está presente na web e o imprimam. Todo o material será enviado a uma galeria de arte na Cidade do México, e ficará exposto entre o dia 26 de julho e 30 de agosto de 2013. O espaço da galeria tem aproximadamente 500 metros quadrados e seu pé direito mede seis metros de altura. Estima-se que para imprimir toda a internet serão necessárias 39 bilhões de caixas com folhas no tamanho padrão de 8,5 x 11 polegadas.

Kenneth Goldsmith imprimir toda internet

Reprodução: CNET

Obviamente, o projeto não agradou nem um pouco aos ambientalistas e uma petição online para a não conclusão do programa já começou no Charge.org. "Uma abordagem sustentável e responsável para a vida exige que os seres humanos adotem abordagem conservadora sobre o uso de recursos", afirma o texto da petição online. "Embora se saiba que o Sr. Goldsmith pretende reciclar o papel usado em sua exposição de arte, a redução do uso é mais importante do que a reciclagem pós-uso".

Além do uso do papel, a petição também cita o uso de substâncias químicas na sua produção, bem como resíduos plásticos e tinta para a impressão que podem comprometer e poluir ainda mais os aterros sanitários. O texto contrário ao projeto afirma ainda que o trabalho de Swartz por uma rede mais acessível também pode ser simbolizado pelo uso correto de recursos. Kenneth Goldsmith, por sua vez, afirma saber da campanha contrária à sua ideia, mas acredita que todo o tipo de arte é "um espetáculo, todo espetáculo é material, e todo o material deve vir de algum lugar".

O projeto começou quando a galeria LABOR, na Cidade do México, convidou o artista plástico para pensar e criar uma mostra em memória a Swartz. Para isso, Goldsmith começou a baixar via Torrent um documento de 33GB que muitos afirmam que o ativista roubou dos arquivos da revista acadêmica Jstor. O arquivo todo é composto por 10 mil páginas, e alguns artistas mexicanos planejam imprimir todo este material como uma forma de homenagear Aaron Swartz.