WhatsApp já conta com criptografia em todos os servidores

Por André Fogaça | 31.05.2017 às 17:08

Em evento na capital paulista nesta quarta-feira (31), o WhatsApp anunciou que todos os seus servidores já trabalham com criptografia de ponta a ponta. Com esta atitude, o WhatsApp não envia e nem recebe mais dados que não estejam protegidos.

A proteção das mensagens começou há dois anos e meio, como resultado de parceria com a Open Whisper Systems Signal Procotol. De acordo com a empresa, não somente as mensagens de texto estão seguras, mas também fotos, áudio e todos os arquivos que trafegam entre os servidores. A novidade aponta que os servidores não são mais capazes de lidar com dados abertos.

Para forçar a mudança, usuários com versões mais antigas do mensageiro não podem enviar e nem receber conversas que mantinham. Com isso, mesmo que um ou outro participante de grupo de mensagens não possuísse criptografia, o que coloca em risco toda a conversa, o grupo está seguro.

O WhatsApp comentou que a mudança para todos os servidores aconteceu entre o final do ano passado e o começo de 2017. Os aplicativos em todas as plataformas, o que inclui todos os Androids e também iPhones, já contam com criptografia em suas versões mais atuais.

Como funciona

A proteção dos dados trafegados entre dois ou mais usuários ocorre direto no aparelho. Assim que um dos lados envia uma mensagem, ela recebe uma chave única e que é replicada de forma pública para o servidor. Ele recebe a mensagem, já praticamente impossível de ser aberta, junto da chave e então tudo é enviado ao destinatário. Uma vez nele, a chave é utilizada para abrir a mensagem e depois é descartada.

Segundo o WhatsApp, apenas durante o tráfego por dentro dos servidores é possível anotar o destinatário e remetente. Após o envio não há registro de envios. Se o destinatário estiver com o celular desligado, em modo avião ou com qualquer impossibilidade de receber a mensagem, os dados ficam guardados por até 30 dias. Após este prazo a mensagem é descartada.

Na resposta, outra chave é gerada e o processo se repete. O WhatsApp ainda comenta que cada mensagem tem sua chave, descartada após a utilização. A combinação de caracteres para decifrar a mensagem é grande o suficiente para que um usuário comum, em um computador tradicional, leve milhares de anos para tentar uma a uma. Mesmo conseguindo quebrar a criptografia, apenas uma mensagem será revelada. Não o conteúdo inteiro da conversa, ou o histórico de outros papos.