WhatsApp foi citado na denúncia contra Lula na Lava Jato

Por Redação | 16 de Setembro de 2016 às 14h14

Na última quarta-feira (14), o Ministério Público Federal (MPF) denunciou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sua esposa, Marisa Letícia, e mais seis pessoas por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Dentre as muitas páginas que compõe o documento assinado pelos Procurados da República responsáveis pela Operação Lava Jato, um detalhe chama a atenção: o WhatsApp foi parte importante da composição da denúncia.

Isso porque cópias de mensagens trocadas entre Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, e Marcelo Ramalho, funcionário do mesmo grupo, apontam para uma conexão com Fábio Lula da Silva, o filho de Lula.

Lula Lava Jato WhatsApp

Trecho da denúncia do MPF apresentada nesta semana

A acusação alega que a OAS pagava propinas para o ex-presidente da República por meio do custeio de imóveis, dentre eles o polêmico e famigerado triplex do Guarujá (SP) e o sítio em Atibaia (SP), que é citado nas mensagens do WhatsApp colhidas pelo MPF.

As mensagens foram usadas pelos Procuradores para tentar provar a ligação entre Lula e sua família com os imóveis citados como parte da propina paga ao ex-presidente. Vale destacar que não foi preciso quebrar a criptografia do smartphone de Léo Pinheiro, uma vez que ele foi apreendido pela Polícia Federal durante a 7ª fase da Operação Lava Jato.

Lula Lava Jato WhatsApp

Trecho da denúncia do MPF apresentada nesta semana

Você pode ver todos os anexos com trechos de mensagens trocadas entre os acusados no documento que traz a denúncia na íntegra.

Via Gizmodo

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.