WhatsApp é criticado pela maneira que lida com os dados de usuários

Por Redação | 18 de Junho de 2015 às 13h32

O WhatsApp recebeu a graduação mais baixa possível em um ranking da Electronic Frontier Foundation destinado a indicar quais empresas protegem seus usuários e clientes no caso de espionagem ou pedidos judiciais de informação. A ONG deu ao serviço de mensagens instantâneas apenas uma estrela, de um total de cinco, e o criticou pela ausência de políticas que deveriam ser padrões para aplicativos desse tipo.

A EFF citou, por exemplo, a ausência de relatórios de transparência ou divulgação pública de pedidos de informação feitos pelas autoridades. Além disso, afirma que o WhatsApp não informa a seus usuários, seja diretamente ou a todos de uma só vez, quando as autoridades solicitam a entrega de dados, nem possui uma política clara e aberta sobre como lida com esse tipo de situação.

Além disso, a organização levantou preocupações quanto ao fato de a empresa não revelar nem mesmo a maneira como lida com os dados dos usuários. Não se sabe, por exemplo, se existe algum tipo de coleta de informações, como o IP ou localização das mensagens ou o conteúdo deletado por quem possui o aplicativo instalado.

Mais do que tudo isso, a EFF critica o WhatsApp por ter ignorado as recomendações da própria organização. No relatório, a instituição diz ter avisado o WhatsApp com um ano de antecedência sobre a realização de uma verificação desse tipo, que marcaria a estreia da solução no ranking, enviando um guia com as melhores práticas e dando tempo para que a companhia se adequasse. Foi estranho, por exemplo, notar que eles não tomaram as mesmas atitudes que o Facebook, de quem são uma subsidiária, na mesma situação.

Empatadas com o WhatsApp no último lugar, e por motivos semelhantes, estão empresas como o Google e a Amazon, além das operadoras americanas Comcast e Verizon. No outro extremo do ranking, recebendo estrelas em todas as categorias avaliadas, estão Adobe, Apple, Dropbox, Wikipedia, Wordpress e Yahoo.

O ranking da Electronic Frontier Foundation é publicado anualmente e avalia algumas das principais empresas de tecnologia em atuação nos Estados Unidos em cinco quesitos — uso de melhores práticas de segurança, transparência na revelação de pedidos de informação, alertas aos usuários sobre isso, existência de políticas para lidar com esse tipo de problema e, por fim, atitudes em prol do usuário. O cumprimento de cada uma dessas categorias garante uma estrela.

Fontes: Electronic Frontier Foundation, Business Insider

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.