WhatsApp agora pode ser usado para envio de intimações judiciais

Por Redação | 28 de Junho de 2017 às 17h08

Nesta quarta-feira (28), o Conselho Nacional de Justiça autorizou que o WhatsApp seja utilizado para a realização de intimações judiciais. Segundo o Conselho, o aplicativo acabou se tornando aliado para o Poder Judiciário, proporcionando a redução de custos e maior rapidez para os processos.

Apesar da prática ter tido início com o juiz Gabriel Consigliero Lessa em 2015 no município de Piracanjuba, em Goiás, somente agora o CNJ liberou o WhatsApp como meio de comunicação judicial. De qualquer forma, a utilização da plataforma é facultativa para as partes que aceitarem os termos de uso.

A decisão também prevê que a mensagem seja confirmada no mesmo dia de envio, caso contrário, os métodos tradicionais deverão ser empregados.

Quando o juiz começou a utilizar o aplicativo, há dois anos, a corregedoria-geral de Justiça de Goiás proibiu a prática de Lessa sob a justificativa de que haveria a redução da força de trabalho do tribunal. Além disso, o órgão afirmava que havia falta de regulamentação legal para que o app fosse usado como meio de atos judiciais.

Apesar disso, a conselheira relatora do processo detalhou toda a dinâmica implicada para a realização das intimações, com regras e penalidades caso haja descumprimentos. Isso significa que, a partir de agora, você não deve estranhar caso receba uma intimação pelo mensageiro!

Via Agência Brasil

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.