Uber oferece corridas gratuitas em SP durante protesto de taxistas

Por Redação | 09 de Setembro de 2015 às 15h34
photo_camera Divulgação

Em resposta aos protestos dos taxistas paulistanos que ocorrem desde a manhã desta quarta-feira (09), o Uber anunciou uma iniciativa que vem, ao mesmo tempo, para facilitar a vida de passageiros e se posicionar contra as propostas que podem bloquear o serviço. Como parte de uma campanha chamada “São Paulo não Para!”, a plataforma vai oferecer corridas gratuitas a todos os usuários paulistanos do serviço.

A oferta, se é que pode ser chamada assim, vale até às 16h desta quarta e dá direito a duas corridas gratuitas com valores de até R$ 50. Basta acessar a aba “Promoções” no Uber e inserir o código SPNAOPARA antes de solicitar um carro. Caso o preço da corrida ultrapasse o promocional, apenas a diferença deve ser paga pelo usuário. Todas as viagens, ainda, precisam ser iniciadas e terminadas dentro da cidade de São Paulo, ou seja, o benefício não vale para trajetos intermunicipais.

A campanha, que acompanha hashtags como #FicaUber e #SPNãoPara, vem como resposta também à votação de um projeto de lei que pode bloquear o funcionamento do Uber na capital paulista. A medida está na pauta da Câmara dos Vereadores e deve ter seu resultado também decidido nesta quarta, no que, para a empresa de transportes, pode acabar sendo um empecilho à inovação e mobilidade.

Não é a primeira vez que o Uber se vê na mira de projetos de lei como estes, além de ser alvo de protestos de taxistas. No Rio de Janeiro, por exemplo, está em vigor uma norma que prevê multas para motoristas flagrados dirigindo para o serviço, enquanto liminares já foram responsáveis por proibirem o funcionamento da plataforma em São Paulo e outras cidades do país.

Nesta quarta, mais especificamente, o protesto começou cedo, às 8h, quando taxistas saíram em comboio pela cidade. Eles chegaram a fechar os pontos de embarque do Aeroporto de Congonhas pela manhã antes de seguirem em carreata pela cidade. A reivindicação, como sempre, é a proibição do funcionamento do Uber.

Sindicatos e associações do motorista afirmam que o serviço é ilegal por não pagar taxas nem estar sujeito às mesmas legislações que os táxis, além de ferir leis que impedem o transporte comercial de passageiros por veículos particulares. Por outro lado, o Uber afirma que fornece apenas uma forma de conexão entre usuários interessados e motoristas profissionais e que leis que o proíbam se colocam no caminho da inovação e proporcionam a continuidade de um monopólio do transporte de passageiros.

No Brasil, o Uber funciona em quatro cidades - São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília. Em outras capitais, taxistas e políticos já fazem projetos e propostas de lei prévias, preparando-se para uma eventual chegada do aplicativo em suas praças.

Fonte: Uber

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.