Uber anuncia "Business Profiles" para facilitar a vida de usuários corporativos

Por Redação | 15.09.2015 às 17:13

O Uber anunciou o lançamento de um novo recurso que visa atrair cada vez mais clientes corporativos para o seu serviço. O chamado "Business Profiles" permite que os usuários alternem rapidamente entre contas do Uber que são usadas para viagens de negócios e para uso pessoal.

Antes do lançamento do novo recurso, os usuários precisavam fazer logout manualmente para depois realizar um novo login em uma conta diferente. Com esta atualização, os usuários podem criar perfis dedicados numa mesma conta.

O Uber explica que a ideia é facilitar a vida de quem usa o aplicativo, uma vez que as pessoas precisavam lembrar sempre de alternar entre suas contas pessoais e empresariais de acordo com o tipo de corrida que iriam fazer, além de ter de lidar com recibos individualmente.

O recurso é parte do serviço Uber for Business, que foi lançado no Brasil em maio e visa atender o mercado corporativo, pois permite o controle completo das despesas de viagem e a fixação de regras para o uso de carros. As empresas interessadas em utilizar a plataforma devem se cadastrar em uma página dedicada e cadastrar também os funcionários que utilizarão o Uber, de forma que eles possam ter acesso aos recursos corporativos no mesmo aplicativo que já utilizam para suas chamadas pessoais.

Atualmente, o Uber for Business está disponível em 56 países e em mais de 300 cidades em todo o mundo. A empresa disse que, enquanto os Estados Unidos seguem como maior mercado de clientes empresariais do serviço, a adoção mundial do Uber for Business está crescendo cada vez mais.

A lógica por trás dos novos perfis corporativos é bem simples: ela dá aos empregadores e aos usuários uma maneira mais conveniente de localizar e organizar seus gastos de viagens corporativas no Uber, uma vez que o serviço cria um recibo rastreável com um mapa e a rota de embarque e desembarque dos funcionários.

Apesar do Uber enfrentar dificuldade para se firmar em diversas cidades brasileiras, como São Paulo, onde os veículos da plataforma foram proibidos de operar, a empresa diz que assume esse compromisso de gerar 30 mil oportunidades de emprego no mercado brasileiro.

Via CNET