Siga o @canaltech no instagram

Telegram ganhou 3 milhões de novos usuários após queda e falhas do Facebook

Por Rafael Arbulu | 14 de Março de 2019 às 09h35
Tudo sobre

Telegram

Saiba tudo sobre Telegram

Ver mais

Já diz o ditado: “o lixo de um homem é o tesouro do outro”, e o CEO do Telegram, Pavel Durov, certamente está vivendo sob esse mantra neste momento. Segundo o próprio executivo, o app de mensagens ganhou aproximadamente 3 milhões de novos usuários com as falhas e quedas dos serviços ligados ao Facebook na data de ontem, 13 de março, gabando-se de ter, hoje, mais de 200 milhões de pessoas utilizando o app de forma ativa.

“Vejo que 3 milhões de novas pessoas entraram no Telegram nas últimas 24 horas. Ótimo. Nós levamos a real privacidade e temos espaço ilimitado para todos”, disse o CEO.

O Telegram rivaliza com o WhatsApp — este uma propriedade do Facebook. Ao contrário do rival com logotipo verde, porém, o Telegram vive à base de doações de usuários, o que lhe permite não trabalhar com a coleta de dados para a veiculação de anúncios, tal qual é o modelo de negócios do Facebook. Adicione a isso a criptografia de ponta a ponta e temos aí o slogan de marketing do app.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

O CEO do Telegram, Pavel Durov, celebrou o aumento de 3 milhões de usuários no app de mensagens após queda do Facebook, Instagram e WhatsApp (Captura de Imagem: Rafael Arbulu)

Os serviços ligados ao Facebook — o app da própria rede social, bem como o Instagram e o WhatsApp — apresentaram falhas e quedas globais nesta quarta-feira (13), alienando uma boa parte dos usuários mundiais da internet, que se viram impossibilitados de realizarem ações corriqueiras. Usuários relataram que, a partir das 13h de ontem, não conseguiam mais publicar comentários em posts, atualizar o feed ou publicar imagens novas no Instagram ou enviar fotos, vídeos e áudios no WhatsApp. Usando, ironicamente, o Twitter para se comunicar com os usuários, o Facebook disse estar a par dos problemas, normalizando a situação apenas na parte da noite. A ideia de um ataque DDoS (negação de serviço) coordenado foi levantada, porém a rede social rechaçou qualquer possibilidade.

Além do Facebook, dois serviços essenciais da Google — o Gmail e o Drive — também apresentaram instabilidade para alguns usuários, em caráter global: o serviço de e-mails carregava de forma lenta ou em versões “lite”, sem grandes artifícios interativos, ao passo que o Drive não estava fazendo o upload de certos arquivos.

Fonte: Telegram: Durov's Channel

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.