Siga o @canaltech no instagram

Telegram adiciona função para deletar todo o histórico de uma conversa

Por Rafael Arbulu | 25 de Março de 2019 às 12h31
Tudo sobre

Telegram

Saiba tudo sobre Telegram

Ver mais

A atualização 5.5 do Telegram trouxe uma função que já foi muito criticada no passado em outras empresas: apelidada de “nuclear delete” (“Delete nuclear”, em tradução óbvia), ela permite que um usuário apague todo o histórico de mensagens em uma conversa privada — tanto do seu aparelho como do aparelho do outro contato.

Para deixar claro: não estamos falando de mensagens individuais, como se vê no WhatsApp ou na função “Unsend” de cancelamento de envio do Facebook Messenger aós um período de tempo. Nos referimos a uma total, completa e irrestrita exclusão de toda a conversa. No passado, o Facebook sofreu duras críticas por testar algo similar (na época em que Mark Zuckerberg passou a deletar, em testes seletivos, mensagens das caixas de entrada de seus interlocutores, criando conversas unilaterais bisonhas — a função de cancelar envio de mensagens veio algumas semanas depois).

O CEO do Telegram, Pavel Durov, racionalizou a implementação, chamando-a de “necessária”:

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

“Nos últimos 10 ou 20 anos, cada um de nós trocou milhões de mensagens com milhares de pessoas. A maior parte dos logs dessas comunicações está guardada em algum lugar nas caixas de entrada dessas outras pessoas, fora de nosso alcance. Relacionamentos começam e terminam, mas mensagens com ex-amigos e ex-colegas permanecem disponíveis para sempre. Uma mensagem antiga da qual você já se esqueceu pode ser tirada de seu contexto e utilizada contra você décadas a frente. Uma mensagem apressada que você enviou a uma namorada na escola pode voltar a lhe assombrar em 2030 quando você for candidato à prefeitura”.

Basicamente, o executivo alega que a nova função dá “total controle” ao usuário sobre as mensagens, independentemente de quem as tenha enviado. Entretanto, detratores da medida dizem que, na realidade, o que ela faz é justamente o contrário: remover o controle. O novo recurso pode, em tese, permitir que sejam feitas edições maliciosas de conversas, com intenções maldosas de fazer alguém sair como o lado errado de certas histórias.

Não é o caso das concorrentes: como dissemos, o Facebook Messenger permite o cancelamento do envio de mensagens por um determinado período de tempo. O mesmo vale para o WhatsApp. Entretanto, há uma diferença chave aqui: ambos os apps permitem apenas a exclusão das mensagens que você enviou. O caso do Telegram vai além, apagando toda a conversa, de todos os remetentes, incluindo aquelas que não foram enviadas por você.

O CEO Pavel Durov alega que medida foi implementada para a proteção dos usuários

A princípio, a ideia pode parecer protecionista: um nude que você enviou a uma pessoa com quem, hoje, já não tem mais nenhum relacionamento, é o primeiro exemplo que vem à mente. Mas o outro lado da moeda pode implicar acusações injustas ou, ainda pior, esconder evidências de mau uso ou outras práticas antiéticas.

De qualquer forma, a novidade já foi implementada na versão 5.5 do Telegram. Vale citar, porém, que ambos os aparelhos devem estar rodando a versão mais atual do app: se um dos remetentes ainda não fez o update, então a função não entra em vigor.

Fonte: TechCrunch

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.