Taxistas no RJ, SP e MG fazem novos protestos contra o Uber

Por Redação | 11 de Novembro de 2015 às 12h35

A manhã desta quarta-feira (11) foi marcada por protestos de centenas de taxistas em algumas capitais brasileiras contra a regulamentação de serviços de transporte privado, o que inclui o Uber.

No Rio de Janeiro, os motoristas se reuniram por volta das 5h30 nas zonas leste, oeste, sul, norte e centro e também na Lagoa. Por volta das 6h00, os manifestantes nessas regiões se dirigiram para o Tribunal de Justiça, no centro, e às 9h00 interditaram uma das pistas da avenida Presidente Antônio Carlos. A polícia militar reforçou a entrada do tribunal com a ajuda de cinco viaturas. Cerca de 600 taxistas participaram das carreatas.

Por volta das 9h30, a polícia registrou um princípio de confusão na frente do Tribunal de Justiça depois que um manifestante que carregava ovos no porta-malas do táxi arremessou ovos contra carros de colegas que se recusavam a aderir o protesto. Um policial militar interveio, mas o manifestante não foi detido.

Uber

Polícia encontrou ovos no porta-malas do carro de um dos taxistas. (Foto: G1)

De acordo com Antônio Oliveira, presidente do sindicato dos taxistas do Rio, a manifestação acontece para que os taxistas e governo entrem em um acordo sobre a regulamentação do transporte particular individual. Para os taxistas, veículos "piratas" representam uma ação injusta tanto contra os profissionais da área quanto contra os passageiros. Oliveira ainda disse que o sindicato pretende entregar um documento que pede a anulação da lei que proíbe que motoristas que trabalham com o Uber e outros serviços semelhantes sejam multados.

"Vamos acionar a Justiça contra essa irregularidade. Não estamos protestando contra nenhum aplicativo específico, mas sim contra o projeto de lei que tramita no Senado sobre transporte privado. Essa lei cria mais uma forma de competição contra o taxista", destacou Oliveira.

Para evitar transtornos, o Uber afirmou que mudou sua sede no Rio de Janeiro. Por questões de segurança, o local do novo escritório não foi divulgado.

Em São Paulo

Enquanto isso, em São Paulo, vários taxistas também iniciaram protestos desde as 7h00 desta quarta-feira na praça Charles Muller, em frente ao estádio do Pacaembu, na zona oeste de São Paulo. Por volta das 10h00, eles se dirigiram à Prefeitura da cidade e à Câmara, onde pediram por mais fiscalização por parte da administração municipal contra o aplicativo Uber.

Recentemente, o prefeito Fernando Haddad (PT) sancionou uma nova categoria de transporte na cidade, o chamado "táxi preto" ou "táxi por aplicativo". Essa modalidade é destinada apenas para veículos que fazem uso de apps móveis, e a prefeitura acredita que, para continuar atuando legalmente na capital paulista, o Uber precisa se adequar a essa nova regra. A empresa, por outro lado, declarou que não vai aderir porque não é um serviço de táxi. O Uber continua funcionando em São Paulo por causa de uma decisão judicial que liberou o uso da ferramenta na cidade.

Em Belo Horizonte

A capital de Minas Gerais também foi alvo de manifestações de dezenas de taxistas contra o Uber. Cerca de 1.500 motoristas se concentraram na frente do Mineirão, na Pampulha, de onde seguiram para a Câmara de Vereadores, no bairro Santa Efigênia, zona leste da cidade. Segundo o Sindicato Intermunicipal dos Condutores Autônomos de Veículos Rodoviários, Taxistas e Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens de Minas Gerais (Sincavir), "o protesto é para que o transporte de passageiros clandestino seja proibido".

Assim como São Paulo, Belo Horizonte possui um projeto para a criação de uma nova categoria de táxi, chamada "Premium", que ofereceria um padrão superior ao do serviço licenciado que se tem na praça. Se for aprovado, restará aos motoristas do Uber candidatar-se a taxistas auxiliares – já que os aplicativos só poderão trabalhar com os motoristas conveniados da autarquia – ou formar empresas para concorrer a uma das 600 placas empresariais que serão licitadas até o fim deste ano.

Fontes: Folha de São Paulo, G1 (1), G1 (2), O Tempo

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!