Snapchat pede liberação de fotos em áreas eleitorais

Por Redação | 03 de Maio de 2016 às 22h56
photo_camera Divulgação

Sabemos que o Snapchat cobre os principais eventos do mundo com fotos e vídeos. Isso inclui esportes, shows, e celebrações de várias espécies. Dessa vez, a rede social do fantasminha pretende ir além. Em uma ação jurídica, a empresa solicitou ao estado de New Hampshire que libere fotos dos usuários nas áreas de votação, com o objetivo de incentivar mais pessoas a votarem.

Essa história não é de agora, já que em agosto do ano passado, um juiz federal revogou uma lei e autorizou essa prática nas eleições, porém, a decisão segue contestada nos tribunais.

Em Nova York, por exemplo, já é permitido fotografar em zonas eleitorais e também nas cabines. Mesmo assim, a cidade recomenda que os eleitores façam isso antes do ato de votar. Cada estado dos EUA tem uma posição sobre fotos nas eleições, mas o Snapchat quer que isso seja válido em todo o país.

Na Califórnia, o uso de celulares e máquina fotográfica é totalmente proibido nas votações. Já na Pensilvânia, quem for pego fotografando pode pegar um ano de detenção, além de levar uma multa de US$ 1.000.

Brasil

O artigo 312 do Código Eleitoral Brasileiro prevê uma multa no valor de R$ 5.320 a R$ 15.961,50 e até dois anos de prisão para quem utilizar máquinas fotográficas, filmadoras, equipamentos de radiotransmissão, telefones celulares ou qualquer outra coisa que possa violar o sigilo do voto.

Nas eleições municipais de 2012, um jovem de 18 anos foi preso ao tirar uma foto de uma urna eletrônica na cidade de Aquidauana, no estado de Mato Grosso do Sul.

Via: Código Fonte e Jusbrasil

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.