Quando o app do jornal que você assina ficar esclerosado, chacoalhe o iPad

Por Henrique von Atzingen | 24 de Setembro de 2015 às 18h37

Meu colega de trabalho estava me contando sobre as desventuras que ele vem passando ao usar o app do jornal que ele assina. A leitura é um habito que tem se tornado cada vez mais digital. Muitas editoras e jornais já entenderam que levar seus conteúdos para dentro de um app pode trazer muitas vantagens, pois além de facilitar bastante a distribuição do conteúdo também diminui os custos. Agora toda aquela rede de distribuição passa a ser virtual, a entrega do conteúdo é direta aos clientes sem intermediários e o acesso é permitido a qualquer hora.

Do ponto de vista de monetização, a situação melhora também. Antes os anúncios eram estáticos, e os valores variavam por estimativa de tiragem, exposição, tamanho. Agora os anúncios passam a ganhar inteligência. Podem direcionar a demanda gerada diretamente às paginas dos anunciantes. O jornal ou revista pode começar a entender o perfil de seu assinante. O tempo que eu invisto lendo notícias de tecnologia é maior do que o tempo que eu fico lendo notícias de arquitetura. Já a minha esposa passa direto pela parte de esportes e tecnologia, para investir horas lendo sobre design e arquitetura. Mais ainda, o jornal sabe onde eu costumo ler durante a semana e durante o final de semana. Sabe onde eu moro, que hora leio. Essas informações que valem ouro passam a estar disponíveis para os veículos poderem direcionar inteligentemente seus anúncios e com isso monetizar ainda mais seu modelo de negócios.

Mas voltando a história de meu colega... Ele assina um grande jornal de São Paulo e gosta de ler as notícias pela manhã. Quando ele abre seu ipad e entra na app do jornal, tem a sua disposição a edição do dia para download. Como é assinante, ele clica em obter para fazer o download. Mas o app é inconstante, e as vezes esse botão aponta para uma compra, como se ele não fosse assinante e tivesse que pagar por uma edição avulsa. Algum tempo depois, o app volta a considerá-lo assinante, e ao clicar em obter, faz o donwload sem cobrança. Esse tipo de situação mostra falha na fase de testes de aplicativo, antes de sua publicação. Mas felizmente pode ser facilmente resolvido.

Hoje os apps podem obter do próprio usuário o feedback de bugs, durante seu uso. Se este jornal quiser, ele pode habilitar uma função no app para que, ao encontrar um bug, o usuário chacoalhe o iPad e o app abra uma tela nova de report. Aqui o usuário descreve o que está acontecendo e envia o report. O dono do app recebe essas informações, com todos os dados do device, sistema operacional, carga da bateria, espaço em memória, etc. E o mais legal, o dono do app não se expõe na Apple Store ou na Google Play. Muitos casos como este de meu colega ocorrem todos os dias com os mais diversos apps empresariais. Mas graças a soluções simples e inteligentes esses problemas podem ser facilmente contornados. Aliás, esse é o grande segredo dos apps de sucesso. Estar constantemente aprendendo com seus usuários, seja de forma direta ou indireta, o ciclo de aprendizado usando os próprios clientes é garantia de melhoria contínua e sucesso futuro.

E o app de sua empresa? Como ela está estruturada para aprender com seus usuários? Quais ferramentas sua empresa usa para manter um ciclo de feedbacks rápido e efetivo? Precisa de alguma ajuda? Então chacoalhe seu dispositivo!

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.