Prisma vai ganhar ferramentas de edição de vídeo

Por Redação | 27.07.2016 às 12:07

O Prisma quer fazer com vídeos a mesma coisa que vem realizando com fotos há algumas semanas. O aplicativo, que rapidamente se tornou uma das mais utilizadas ferramentas de edição de imagens mobile, deve ganhar, em breve, ferramentas que vão permitir a aplicação de efeitos artísticos também em imagens em movimento, permitindo que os usuários façam muito mais com suas propostas.

Apesar de o lançamento estar marcado para acontecer “em breve”, a funcionalidade de alteração de vídeos, em si, já está pronta e funcionando. Entretanto, a equipe do Prisma trabalha atualmente na otimização de servidores e infraestrutura, uma vez que clipes gerarão muito mais carga do que as imagens usadas até agora pelo serviço. De nada adianta liberar uma novidade dessas se ela não funcionar, e os responsáveis querem garantir que tudo corra sem problemas.

Uma data precisa para lançamento da atualização não foi marcada, mas ela deve chegar nas próximas semanas. Os responsáveis pelo app também não falaram se a novidade vai chegar ao mesmo tempo para iOS e Android ou se seguirá o padrão do lançamento do próprio software, que saiu primeiro para iPhones e só depois chegou ao sistema operacional do Google.

Caso você seja um usuário constante de redes sociais, já deve ter se deparado com alguma criação do software. O aplicativo aplica filtros artísticos a fotografias comuns, obtidas a partir da câmera do aparelho. Na prática, é uma ideia que já havia sido adotada antes em outros softwares, mas poucos possuem a quantidade de opções do Prisma e sua qualidade na transformação das fotografias – fruto de um trabalho de otimização de algoritmos.

Foram esses fatores que levaram o app a se tornar, rapidamente, uma opção bastante popular no iOS. O Prisma também caiu rapidamente no gosto de youtubers, blogueiros e outros produtores de conteúdo para internet, o que ajudou ainda mais na sua tração junto ao público. Hoje, o aplicativo se encontra na lista dos dez mais baixados da App Store em todos os 77 países em que está disponível, com mais de 650 milhões de fotos “alteradas”.

Fonte: Bloomberg