Passageiros do Uber são agredidos por taxistas em São Paulo

Por Redação | 30 de Novembro de 2015 às 11h56
photo_camera Divulgação

Mais um caso de agressão envolvendo o Uber ganhou repercussão nacional. Desta vez em São Paulo, onde dois passageiros foram agredidos por taxistas na Zona Norte da capital paulista no último domingo (29).

De acordo com a reportagem do Bom Dia São Paulo, o motorista do aplicativo contou que recebeu uma chamada dos passageiros. Ao chegar ao local da corrida, ele notou um grupo de oito a dez taxistas do outro lado da rua que, ao perceberem que se tratava de um carro do Uber, partiram para cima tanto do motorista quanto dos dois usuários que iriam fazer a viagem.

O condutor, que não quis ter o nome divulgado, disse que tentou apressar os clientes para fechar as portas do veículo, pois os taxistas já estavam rodeando o carro. Os passageiros então desceram do automóvel e tentaram argumentar com os taxistas, mas foram agredidos pelo grupo. "Quando eles (os passageiros) saíram do carro, eu já verifiquei que um taxista partiu para cima dos clientes com a chave de roda na mão. Fiquei sem reação. Carro parado, olhando pelo retrovisor, chegaram a derrubar o cliente, o cliente chegou a cair", descreveu o motorista.

Após as agressões, o motorista, que trabalha há apenas uma semana com o Uber, disse que os passageiros conseguiram entrar no carro. Ambos foram levados para o hospital - um deles foi ferido na cabeça, mas nenhuma complicação grave.

Em nota, o Uber diz que repudia qualquer tipo de violência e que está oferecendo todo apoio necessário aos passageiros agredidos. Também afirma que todas as medidas legais cabíveis serão tomadas e que vai colaborar com as autoridades locais na investigação do caso.

Este é o segundo caso de agressão em menos de uma semana envolvendo o Uber. Na última quinta-feira (26), o motorista Bráulio Escobar foi espancado por dois taxistas em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, onde o aplicativo foi lançado recentemente. Os taxistas se passaram por clientes do app e armaram uma emboscada para o motorista, que, pensando se tratar de clientes, atendeu o pedido. Os acusados foram detidos pela polícia local e reconhecidos pela vítima, que ficou com diversos hematomas no rosto.

Ao saber do ocorrido, o Uber disse que "se solidariza com o motorista parceiro, vítima de um ataque em Porto Alegre", e considera inaceitável "o uso de violência em qualquer forma, sobretudo contra cidadãos trabalhadores".

Fonte: G1

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.