Passageira relata caso de assédio sexual por motorista da 99

Por Felipe Demartini | 18 de Maio de 2018 às 11h42
charnsitr/Depositphotos

Um novo caso de assédio sexual envolvendo aplicativos de transporte aconteceu nesta semana quando um motorista da 99 solicitou sexo oral a uma passageira. O caso aconteceu em Salvador, na Bahia, com a proposta sendo registrada em um chat anterior ao início da corrida, enquanto o condutor ainda se dirigia ao local para se encontrar com a cliente.

A vítima, que preferiu não se identificar, estava em um shopping da capital e solicitou um carro do aplicativo para ir embora. Durante uma breve conversa na qual dava orientações de onde poderia ser encontrada, por meio de um sistema de bate-papo da própria aplicação, veio a proposta, feita de maneira bem direta.

A passageira disse ter ficado em estado de choque e, com o nervosismo, não foi capaz de responder. O motorista chegou a telefonar para seu celular, provavelmente em busca de mais informações sobre sua localização. Ela afirma não ter atendido; sem resposta, o motorista a direcionou para outro parceiro da 99. A vítima cancelou o pedido e usou um táxi para deixar o shopping.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Assédio sexual veio pelo chat, antes do início da corrida (Imagem: Reprodução/G1)

O caso foi relatado à imprensa e, também, à própria empresa de transportes. Em declaração, a 99 disse que o motorista já foi expulso da plataforma. A companhia ainda afirmou que não compactua com ações desse tipo e deseja continuar acompanhando o caso, tendo solicitado à passageira que encaminhasse a captura de tela da conversa em que aconteceu o assédio sexual e, também, cópia do boletim de ocorrência com denúncia feita na Polícia Civil.

Ao mesmo tempo, a empresa disse estar prestando todo apoio possível à vítima e que repudia qualquer tipo de violência contra as mulheres. Na declaração, a 99 disse ter uma equipe de segurança composta por 30 pessoas que trabalham 24 horas por dia justamente para garantir proteção aos usuários do aplicativo.

A cliente também se disse disposta a registrar o caso junto às autoridades, mas, em contrapartida, afirmou não desejar manchar a imagem do aplicativo, mas sim alertar sobre casos desse tipo para que o mesmo não aconteça com outras mulheres. Ela disse utilizar softwares de transporte com frequência e nunca ter passado por isso, mas que temeu por algo mais grave caso tivesse efetivamente entrado no veículo do motorista.

Mudanças no app

Na mesma data em que a situação foi publicada na imprensa, a 99 anunciou novas medidas de segurança justamente para evitar situações perigosas em seu ecossistema. No anúncio, a companhia afirma que a ideia é unir tecnologia e gestão para aumentar a segurança de motoristas e passageiros. A iniciativa, afirma, foi responsável por uma queda de 43% no número de incidentes.

Fazem parte do conjunto de medidas uma maior rigidez no cadastro, com passageiros sendo obrigados a informar CPF ou número de cartão de crédito antes de realizarem a primeira corrida. Um dos objetivos, aqui, seria reduzir os casos de assalto a motoristas, com bandidos utilizando cadastros falsos para realizarem os crimes, roubando carros e valores dos condutores.

Além disso, um sistema de inteligência artificial está sendo usado para prever incidentes, monitorando corridas em tempo real e até bloqueando chamadas potencialmente perigosas. Um mapeamento de regiões perigosas é realizado constantemente, com apoio de dados internos e também das Secretarias de Segurança Pública de cada cidade. Enquanto isso, a tecnologia de machine learning é usada para verificar padrões que possam indicar possíveis ameaças ou o uso da solução por usuários mal-intencionados.

Em breve, o 99 também ganhará um sistema que analisará o histórico dos usuários e notificará motoristas sobre passageiros frequentes, além de um sistema que permite a denúncia de incidentes diretamente pelo app para agilizar a resposta da empresa e melhorar a comunicação entre ela e eventuais vítimas.

As primeiras medidas de segurança foram implementadas em sete cidades no final de abril e, nesta semana, chegaram a todas as praças em que o 99 opera. A companhia reforça, ainda, que as funções não se tratam de uma resposta ao incidente ocorrido em Salvador, mas fazem parte de um esforço para dar mais segurança a motoristas e passageiros durante a utilização dos serviços da companhia.

A 99 reforça, ainda, que possui uma canal de atendimento exclusivo para incidentes de segurança em seu ecossistema. Por meio do telefone 0800-888-8999, motoristas e usuários podem entrar em contato para prestarem informações sobre o que aconteceu e receberem auxílio imediato, o que inclui apoio emocional e psicológico para casos de assédio.

Fonte: G1, 99

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.