O Snapchat chegou para ficar e os pais devem se preocupar

Por Colaborador externo | 10 de Abril de 2015 às 07h23

por Thiago Hyppolito*

O Snapchat é um aplicativo para smartphones no qual tudo o que é enviado entre os contatos desaparece poucos segundos depois. Ao invés de mensagens de texto, a comunicação é realizada por fotos ou vídeos recém-captados. É possível ainda desenhar ou escrever sobre as fotos e a validade das mensagens é de, no máximo, 10 segundos após abertas.

O aplicativo também permite criar as "Histórias do Snapchat", que funciona como uma narrativa breve em vídeo feito da reunião das últimas mensagens enviadas, os chamados ‘snaps’. Uma História fica ativa na conta do usuário por 24 horas e pode ser vista pelos seus contatos como uma espécie de atualização visual do dia desse usuário.

Em pouco tempo a popularidade do Snapchat disparou e se tornou o aplicativo de maior crescimento entre os adolescentes. Entre o Snapchat e o Instagram, os adolescentes estão passando boa parte do tempo se comunicando com menos palavras e mais fotos. Este aplicativo chegou para ficar e está causando preocupações entre os pais, já que a possibilidade de enviar e receber mensagens que se autodestroem passa uma falsa sensação de segurança para os jovens, como se pudessem enviar mensagens com qualquer conteúdo sem deixar rastros de comportamentos inadequados.

Sempre que um aplicativo é lançado com a opção de anonimato ele atrai comportamentos duvidosos e desperta o interesse dos jovens e adolescentes. Mesmo sem se interessar por tecnologia, é importante que os pais conheçam os aplicativos mais populares para entender como os filhos se comunicam com os amigos e o que fazem na rede.

Recentemente, a equipe do Snapchat se adiantou à iminente reação que o acusava de ser essencialmente um “aplicativo de troca de mensagens sexuais”, publicando O Manual do Snapchat para os Pais. O Snapchat também enviou uma mensagem direta aos usuários incentivando-os a vestir suas roupas para usar o aplicativo. O guia de segurança para os pais diz: “Assim como acontece em todas as redes sociais, o respeito por si mesmo e pelos outros nos deixa mais seguros. A experiência pode ser positiva ou negativa e depende muito de como as pessoas usam o aplicativo ou serviço, de elas serem amigas ou não de verdade, e de como elas tratam umas às outras no Snapchat. Amigos podem fazer brincadeiras, mas a maioria das crianças trata bem os seus amigos. Nunca é demais ter uma conversa com elas (nunca faça um sermão) sobre a maneira como usam o Snapchat, só para garantir”.

Como qualquer outra rede social, o Snapchat também proporciona aos usuários trocarem mensagens diretas e ter acesso privado e individual a uma conversa. A melhor maneira de monitorar a atividade dos seus filhos adolescentes em qualquer rede social é sempre conversar de maneira coerente sobre responsabilidade e respeito por si mesmos e pelos outros. Também é recomendável fazer um monitoramento aleatório das listas de amigos e dos aplicativos que seus filhos costumam usar.

Com a popularidade do Snapchat, é quase impossível mantê-lo afastado de um adolescente com um smartphone. Simplesmente ele é muito divertido. É importante sempre manter o diálogo sobre tais tecnologias com o adolescente, lembrando-lhe que, apesar da capacidade do Snapchat de fazer as fotos “desaparecerem”, infelizmente isso não é verdade. Além das possíveis invasões de dados, já existem aplicativos no mercado que permitem aos usuários capturar as telas de um Snapchat. As crianças sabem disso, só precisam ser lembradas, e é aí que o seu papel como pai passa a ser fundamental no mundo conectado delas.

*Thiago Hyppolito é engenheiro de produtos da McAfee do Brasil, integrante da Intel Security

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.