Numero de downloads do Snapchat volta a apresentar crescimento

Por Eduardo Hayashi | 28 de Fevereiro de 2018 às 15h42
photo_camera Reprodução: Social Geek
TUDO SOBRE

Snapchat

Depois de passar por alterações visuais de usabilidade e interface, o aplicativo de mensagens Snapchat sofreu duras críticas de seus usuários, o que ocasionou em uma série de notas baixas nas lojas de apps Google Play e App Store. Mais de 1 milhão de assinaturas foram registradas em uma petição virtual contra a mudança, e a Snap se viu obrigada a responder publicamente para acalmar os ânimos. No entanto, a onda de críticas ao redesign do app não refletiu negativamente em seu número de downloads, ainda que as ações da empresa tenham caído após a influenciadora digital Kylie Jenner ter dito que não estava mais usando o app.

Conforme revelam recentes dados da empresa de consulturia SensorTower, o Snapchat obteve o aumento de 55% no número de instalações nos EUA em relação à semana anterior às mudanças no aplicativo móvel. No período apurado, o dia com o menor crescimento foi de 41%, na comparação semanal.

Dados da Sensor Tower mostram crescimento médio de 55% no número de downloads semanais do Snapchat (Imagem: Sensor Tower)

Vale notar que tais informações consideram apenas as instalações do aplicativo para cada usuário da Google Play e App Store, não considerando reinstalações ou downloads do app em diversos dispositivos que compartilhem um login.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Pouco tempo antes de sua última atualização, o Snapchat estava prester a perder a sua colocação entre os top 10 nos EUA, situação desfavorável só havia ocorrido três vezes desde 2014, quando o aplicativo de mensagens começava a ganhar popularidade nas plataformas mobile. Neste momento, o app ocupa a 5º posição no ranking.

Apesar de os resultados positivos se restringirem aos Estados Unidos, este pode ser o "sinal verde" que a Snap estava aguardando para seguir em frente com as suas tentativas de bater de frente com o Facebook e o Instagram, seus principais concorrentes atuais.

Fonte: SensorTower

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.