Novo golpe do WhatsApp usa pacote falso de emojis para enganar usuários

Por Redação | 08.03.2016 às 16:13
photo_camera Divulgação

O laboratório da ESET, uma das mais conceituadas companhias de segurança digital, informou nesta terça-feira (8) sobre a existência de um novo golpe envolvendo emojis falsos do WhatsApp. De acordo com os pesquisadores, o golpe instrui a realização de um cadastro em uma determinada página que ofereceria um novo pacote de emojis, mas, ao realizar tal ação, o usuário fornece seus dados para listas de spam ou realiza assinatura de serviços pagos.

O método dos golpistas é bem simples: um contato do WhatsApp compartilha uma mensagem dentro de um grupo ou mesmo em uma conversa privada. Nesta mensagem há um link para que um novo pacote de emojis seja instalado no aplicativo. Ao clicar sobre ele, o usuário é redirecionado para outra página, na qual recebe a instrução de compartilhar a mesma mensagem sobre os novos emojis com 10 amigos ou três grupos a fim de concluir o download.

Ao realizar esta tarefa, o usuário é levado até uma nova página, na qual lê um aviso informando que houve um erro e a operação não foi realizada com sucesso. Há casos em que o utilizador do WhatsApp recebe uma nova instrução, desta vez para atualizar seu número de telefone e prosseguir com a instalação, porém, o objetivo desta ação é inscrever desavisados em serviços pagos ou então incluir seus dados em listas de spam.

“Cada vez mais, os cibercriminosos têm diversificado seus ataques, usando técnicas que busquem atrair a atenção dos usuários e que viralizem ou se espalhem por meio de aplicativos populares, como WhatsApp”, comenta o presidente da ESET Brasil, Camillo Di Jorge. “É importante que os usuários fiquem atentos para esse tipo de golpe e evitem clicar em links duvidosos ou desconhecidos”, reforça o executivo.

Atenção nunca é demais

Vale sempre lembrar que aplicativos como WhatsApp, Telegram, Messenger e outros dificilmente vão oferecer links para download que não estejam associados às lojas oficiais de aplicativos, como App Store, Google Play Store e Windows Store. As exceções vêm para a distribuição de versões de testes dos apps, mas, mesmo assim, estes são distribuídos apenas por meio de canais oficiais, como o site oficial de cada serviço, e é importante ficar atento.

Fonte: ESET