Motorista do Uber é condenado à prisão perpétua por estupro na Índia

Por Redação | 03.11.2015 às 11:54
photo_camera Divulgação

Nesta terça-feira (03), um tribunal indiano condenou o ex-motorista do Uber, Shiv Kumar Yadav, à prisão perpétua depois de considerá-lo culpado num caso de estupro a uma passageira em Delhi. A violência aconteceu em dezembro de 2014 e o homem também foi condenado por sequestro e intimidação da vítima.

Na decisão final proferida sobre o processo, o tribunal discorreu em 99 páginas a escolha da sentença máxima para o delito juntamente com uma multa equivalente a cerca de US$ 320. O julgamento aconteceu duas semanas após o tribunal condená-lo no caso no dia 20 de outubro.

O abuso aconteceu na noite do dia 05 de dezembro do ano passado, quando a vítima foi estuprada após ter solicitado uma corrida pelo Uber. Após o ataque, ela foi levada até sua casa e ameaçada pelo motorista de 32 anos para que não chamasse a polícia. No entanto, ela conseguiu tirar uma foto do carro do acusado e anotar seu número de identificação no aplicativo.

A vítima levou as informações até as autoridades, que após dois dias de perseguição conseguiram prender o suspeito em uma cidade vizinha. O ex-motorista não se declarou culpado das acusações e o caso levou a um amplo debate sobre a segurança das mulheres na capital indiana, resultando numa proibição temporária do Uber e outros serviços semelhantes na região.

O Uber se desculpou publicamente pelo incidente e introduziu novas medidas de segurança para continuar operando na Índia, entre elas o recurso de "enviar status" para que os passageiros possam compartilhar detalhes do passeio com outros contatos em tempo real e uma espécie de “botão de pânico”, que permite chamar a polícia local diretamente.

Via Mashable