Motorista do Uber é suspeito de abusar de adolescente de 13 anos durante corrida

Por Redação | 23 de Agosto de 2017 às 11h04

Um caso de suposto abuso entre um motorista do Uber e uma adolescente de 13 anos aconteceu na manhã desta segunda-feira (21) na cidade de Salvador, onde a empresa de transportes via aplicativo atua desde 2016. A denúncia foi realizada junto a Delegacia Especializada de Repressão a Crimes contra a Criança e o Adolescente (Dercca). O motorista, identificado apenas pelo nome de José, está sendo procurado pela polícia para prestar os devidos esclarecimentos sobre o ocorrido.

De acordo com a delegada Ana Crícia, titular da unidade onde a denúncia foi registrada, a adolescente chegou ao colégio onde estuda chorando e relatou o ocorrido. A jovem fez a viagem no banco da frente do carro, onde, segundo ela, ocorreu o contato. "A informação é que ele acariciou a menina nos braços e nas mãos durante a corrida, o que é uma conduta não aprovada. Ainda não temos como afirmar se houve ou não abuso sexual, mas estamos investigando isso", declarou a delegada.

Depois de solicitar a corrida que normalmente custa R$ 15, a mãe da estudante percebeu que o valor final ficou em R$ 21. Como o trajeto foi maior do que geralmente ocorre, a mãe ligou preocupada para a estudante, mas não conseguia contato. A jovem, ao chegar nervosa e assustada à escola, relatou o ocorrido e a instituição contatou a família e também a equipe de psicologia do local. Segundo as informações, o caso aconteceu por volta das 6h40 e o motorista do Uber aparentava ser um homem de 50 anos.

Caso seja confirmado, este seria o primeiro caso de abuso envolvendo motoristas do Uber em Salvador. A empresa opera em 70 cidades no Brasil, incluindo todas as capitais do país, e já atingiu a marca de mais de 530 milhões de viagens. A empresa não informa a quantidade de motoristas que existe em cada cidade, mas revela que em todo o Brasil eles somam 50 mil. Até o momento, a Uber não se pronunciou sobre o ocorrido.

Atualização: Uber se posiciona

Por email, a assessoria da Uber informou que a empresa repudia o acontecimento e que já tomou as providências cabíveis.

Este tipo de comportamento não é tolerado e o motorista já foi banido da plataforma. A Uber se coloca à disposição para colaborar com autoridades no curso de investigações. Vale lembrar que nenhuma viagem na Uber é anônima e este tipo de comportamento, se confirmado, leva ao imediato desligamento da plataforma. Acreditamos na importância de combater, coibir e denunciar casos de assédio e violência contra a mulher.

Motorista indiciado

Mesmo negando o crime e dizendo estar surpreso com o desenrolar dos fatos, José Santana Ribeiro se apresentou à polícia na tarde desta terça-feira (23), foi indiciado e vai responder por constrangimento praticado contra a jovem passageira, previsto no artigo 232 do Estatuto da Criança e do Adolescente. 

“Jamais faria isso. Sou casado e pai de duas meninas, uma de 15 anos e outra de 20. Fiquei surpreso. Fui saber depois, quando cheguei em casa depois do expediente. Trabalhei em uma empresa de Camaçari por sete meses e, em outra, por 20 anos”, afirmou.

Com informações do G1

Fonte: Correio 24 Horas

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.