Linux Foundation cria iniciativa para tornar assistentes de voz mais confiáveis

Linux Foundation cria iniciativa para tornar assistentes de voz mais confiáveis

Por Igor Almenara | Editado por Douglas Ciriaco | 29 de Junho de 2021 às 10h34
Bence Boros/Unsplash

Na terça-feira (22), a Linux Foundation deu início ao Open Voice Network (OVN), uma aliança com o objetivo de padronizar sistemas de reconhecimento de voz e com princípios éticos rígidos. Apresentada pela primeira vez em 2019, a iniciativa se assemelha a abordagens de Big Techs importantes nesse segmento, como a Voice Interoperability Initiative, da Amazon, porém com grande destaque na construção de sistemas seguros e abertos.

O OVN, assim como outros programas com a participação da Linux Foundation, busca adotar padrões abertos em aplicativos com reconhecimento de voz, como automóveis, celulares e dispositivos inteligentes. A aliança é composta por empresas como Target, Veritone, Deutsche Telekom e Microsoft, mas segue aberta para mais companhias interessadas.

Padronizar o desenvolvimento de sistemas inteligentes baseados por controle de voz é um importante processo na consolidação dessa tecnologia. O OVN aplicará seus princípios sobre sistemas que contam com tecnologias de reconhecimento de voz automático, processamento de linguagem natural, gerenciamento avançado de diálogo e aprendizado de máquina.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

O OVN é uma iniciativa puramente técnica e seus efeitos só poderão ser encontrados daqui a alguns anos, se o padrão amadurecer no segmento e fazer parte de mais ecossistemas. Ele partiu de uma pesquisa do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) em colaboração com a Intel, que entre 2016 e 2018 avaliaram o impacto do reconhecimento de voz no varejo, na indústria de marketing e nos bens de consumo.

OVN busca construir uma base segura e privativa em comados de voz (Imagem: Reprodução/Open Voice Foundation)

“Espera-se que a voz seja uma interface primária para o mundo digital, conectando usuários a bilhões de sites, ambientes inteligentes e assistentes com inteligência artificial”, explicou o vice-presidente sênior e gerente geral de projetos da Linux Foundation, Mike Dolan, em comunicado. “A chave para permitir a adoção corporativa desses recursos, bem como conforto e familiaridade do consumidor é a implementação de padrões abertos”, complementou.

Um guia para desenvolvimento

Princípios que regem o Open Voice Network incluem quatro importantes pilares: ser digno da confiança do usuário; garantir escolha de ecossistemas ou arquiteturas ao indivíduo; acessibilidade e inclusividade; e liberdade para o desenvolvimento de software e hardware distintos.

Para ingressar no programa, os membros precisam se comprometer e ceder recursos para apoiar as instituições de pesquisa. Este ano, o OVN terá como objetivo estabelecer parcerias com empresas, profissionais de voz e associações da indústria de voz na América do Norte e na União Europeia.

Companhias podem contribuir com a iniciativa em três diferentes níveis, cujos valores variam entre US$ 7,5 mil, US$ 50 mil e US$ 100 mil. Quanto maior o investimento, maior a participação da companhia em conselhos da iniciativa. Companhias menores e indivíduos podem atuar como “amigos” da Open Voice Network — uma inscrição que requer a colaboração voluntária, mas sem qualquer custo.

Fonte: Venture BeatArs TechnicaOpen Voice Network

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.