Instagram mantinha fotos e mensagens apagadas em seus servidores

Por Ramon de Souza | 13 de Agosto de 2020 às 23h15
Reprodução/Business Insider
Tudo sobre

Instagram

Saiba tudo sobre Instagram

Ver mais

O Instagram foi pego em flagra desrespeitando a privacidade de seus usuários: ao que tudo indica, a rede social mantinha, em seus próprios servidores, cópias de fotografias e mensagens particulares mesmo após o usuário ordenar a sua exclusão. Quem identificou tal comportamento inadequado foi o pesquisador de segurança Saugat Pokharel, que reportou o problema no programa de caça aos bugs da plataforma.

Pokharel percebeu a falha ao usar a ferramenta disponibilizada pelo aplicativo para que o usuário faça download de todas as suas informações pessoais — um direito concedido a todos os cidadãos europeus desde 2018, quando o Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados (General Data Protection Regulation ou GDPR) entrou em vigor. Porém, no meio da gigantesca biblioteca de dados, ele percebeu algo estranho.

Várias imagens e conversas que já haviam sido deletadas pelo próprio analista há anos atrás ainda faziam parte dos registros da rede social. É comum que serviços online armazenem conteúdos durante um breve momento — como um dia ou dois — após sua exclusão no terminal, mas o caso do Instagram parecia bem mais grave.

Após notificar a empresa em outubro de 2019, Pokharel recebeu US$ 6 mil como recompensa por detectar a falha, que foi corrigida em uma atualização lançada no mês passado. Ao TechCrunch, a companhia destacou que não há indícios de que tal problema tenha sido explorado por agentes maliciosos e garantiu que guardar dados indefinidamente não é uma política da empresa.

Fonte: TechCrunch

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.