Google Hangouts deve ser substituído por novas soluções até 2020

Por Felipe Demartini | 03 de Dezembro de 2018 às 12h03
Google
Tudo sobre

Google

A Google confirmou neste final de semana que o Hangouts, seu serviço de chat de texto, áudio e vídeo, está com os dias contados. O comunicado emitido pela empresa, bem como declarações de executivos feitas por meio do Twitter, vieram para somar às informações extraoficiais divulgadas no último sábado (1º) de que a plataforma seria fechada completamente.

Enquanto o formato atual do Hangouts, chamado de “clássico” internamente por seus desenvolvedores e executivos, deverá mesmo ver seu fim até 2020, os usuários finais não ficarão sem soluções de conversas por texto, áudio e voz, com os produtos Hangouts Chat e Hangouts Meet, inicialmente voltados para o setor corporativo, sendo abertos a todos os utilizadores.

O anúncio de que as soluções se tornariam parte do rol de serviços da Google para o setor empresarial, feito em março do ano passado, bem como a ausência de atualizações, já pintavam um começo do fim para o Hangouts. A plataforma nasceu como uma espécie de mensageiro integrado ao Gmail para, depois, ganhar suas próprias asas, com aplicativos e recursos próprios. Para os usuários, entretanto, parecia que a empresa não mexia no produto há algum tempo, com os relatos de problemas de performance e bugs jamais solucionados começando a pipocar.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Então, veio a informação publicada na imprensa internacional, com fontes não-identificadas afirmando que o Hangouts veria seu fim até 2020. O relato foi negado por Scott Johnson, líder de projeto da plataforma de comunicação, que afirmou não existir nenhuma decisão sobre isso, mas que os usuários atuais da plataforma receberão um “upgrade” para as soluções Chat e Meet.

Depois, veio o comunicado oficial da Google, confirmando o fim do Hangouts “clássico” e a transferência de todos os usuários para as versões que, originalmente, seriam exclusivas do mercado corporativo. De acordo com a declaração da gigante, não existe data prevista para esse upgrade nem para o fim da atual versão do mensageiro, mas a companhia permanece comprometida a ele até o final de seu ciclo de desenvolvimento.

Johnson, ainda, criticou as informações publicadas pelo 9to5Google na última semana, por elas levarem os usuários a acreditarem que ficariam sem o Hangouts. Não é o caso, segundo ele, uma vez que uma transição vai acontecer e a ideia seria alinhar todos os produtos da empresa de uma única maneira, de forma que todos recebam suporte e recursos de forma integrada.

Originalmente, o Hangouts Chat surgiu para ser uma alternativa e concorrência ao Slack, amplamente usado para chat de texto no ambiente corporativo, enquanto o Meet veio para abranger o mundo das videoconferências. A solução de chat de voz, por sua vez, foi repaginada e se tornou o aplicativo Google Voice, disponível para web, Android e iOS, também trazendo, em si, sua própria janela de bate-papo por texto.

Os primórdios da solução, ainda, podem ser encontrados no Gmail, quando a ferramenta nasceu como um chat integrado ao serviço de correio eletrônico, na época chamado de Gtalk. Com o tempo e a chegada da rede social Google+, veio a primeira integração, com o serviço passando a se chamar Hangouts e ganhando suas versões individuais na forma de aplicativos, apesar de ainda fazer parte da plataforma de e-mail.

Fonte:  9to5 Google

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.