Golpe no WhatsApp utiliza Burger King para roubar informações de vítimas

Por Redação | 30 de Maio de 2016 às 15h33

Com já dizia o ditado: "nada nessa vida é de graça", por isso sempre desconfie de promoções que pareçam muito generosas. Esse é o caso de um novo golpe que está sendo aplicado via WhatsApp. A roubada da vez é um cupom falso do Burger King que promete um desconto no valor de R$ 50 nas lojas da rede de alimentação.

O golpe acontece por meio das famosas correntes e seu objetivo é inscrever as vítimas em diferentes serviços de mensagens pagas sem que elas percebam. O cupom falso é encaminhado para contatos e grupos do usuário convidando os interessados a participar de uma pesquisa e compartilhá-la com conhecidos para ganhar um voucher que dá direito a um desconto.

Ao aceitar participar da pesquisa, o usuário clica em um link com um questionário sobre frequência de visitação à rede, distância da loja mais próxima à casa do usuário, se é cliente Burger King e sobre uso de cupons de desconto.

golpe Burger King

As perguntas possuem esse tom mais generalista para desviar a atenção da vítima do golpe, que promete a entrega de um dos 150 cupons restantes caso o interessado continue a responder as questões.

Para ganhar o falso prêmio, a vítima é obrigada a compartilhar a pesquisa com dez amigos ou em três grupos de WhatsApp. Na próxima tela, o usuário é incitado a aceitar as condições de participação sem ter tempo de ler as regras. No fim, a última mensagem mostra que a vítima não ganhou o voucher, mas que receberá novas promoções.

Além do golpe do Burger King, um outro relacionado ao McDonald's, e com o mesmo procedimento, já era propagado. Cada vez mais esse tipo de crime se torna frequente. Além do Brasil, países como Itália, Estados Unidos, Alemanha e Espanha também sofrem com esse mesmo problema.

O diferencial desse golpe do Burger King é que os cibercriminosos acrescentaram uma linha de código que impede que buscadores indexem o conteúdo falso.

Prevenir é o melhor remédio

As maneiras de se prevenir e não cair em armadilhas virtuais são simples:

  • Não clique em links estranhos ou suspeitos enviados por meio de mensagens de texto, WhatsApp ou outros aplicativos de mensagens ou redes sociais.
  • Nunca forneça informações pessoais, se a fonte não é confiável.
  • Não instale aplicações de repositórios não oficiais.
  • Não compartilhe mensagens suspeitas ou que pareçam não vir de uma fonte confiável.
  • Use uma solução de segurança que bloqueie aplicações maliciosas ou sites fraudulentos.

Fonte: ESET

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.