Facebook Messenger vai começar a exibir anúncios em sua tela inicial

Por Redação | 12 de Julho de 2017 às 12h40

O Facebook quer transformar o Messenger em uma grande fonte de receitas com publicidade. Por isso, o aplicativo ganhou um novo recurso nesta terça-feira (11) que permite que empresas de todo o mundo possam publicar anúncios no Messenger. A nova função ainda está sendo finalizada e o Facebook busca a melhor forma de apresentar as propagandas para que os mais de 1,2 bilhão de usuários mensais do aplicativo não tenham sua experiência com o app prejudicada.

O que se sabe é que os anúncios não serão mostrados na janela de conversas, mas sim na tela inicial do Messenger, onde estão reunidos os contatos, os favoritos e as conversas mais recentes. Os usuários que clicarem nos anúncios serão direcionados ao site do anunciante ou a uma janela para interagir com a marca. Aliás, o Facebook já permite que as empresas possam conversar com usuários diretamente pelo Messenger enviando, inclusive, conteúdo publicitário.

Em janeiro, apenas empresas da Austrália e Tailândia podiam adotar a ferramenta de propaganda. Agora, com a disponibilização mundial, o Facebook espera que as empresas reconheçam o potencial que o Messenger oferece aos "profissionais de marketing" para "expandir o alcance de suas campanhas e gerar mais resultados".

Para quem quer evitar determinados tipos de anúncios, o Messenger permitirá que os usuários possam ocultar temporariamente anúncios específicos -- em outras palavras, não será possível interromper ou bloquear as propagandas por completo. Vale lembrar que os anúncios em dispositivos móveis têm se tornado cada vez mais importantes para as empresas, visto que existe uma crescente tendência de bloqueio de anúncios em navegadores.

A chegada a novos países é uma estratégia fundamental para fazer do Messenger mais uma máquina de monetização publicitária. Dos quatro aplicativos do Facebook, que incluem a própria rede social, o Instagram, o Messenger e o WhatsApp, apenas o último não contém anúncios. A companhia de Mark Zuckerberg obtém 85% de sua receita publicitária a partir de dispositivos móveis.

Fonte: The Guardian