Especialista afirma que bloquear WhatsApp é quase impossível

Por Redação | 16 de Dezembro de 2015 às 21h27
photo_camera Divulgação

Após a Justiça brasileira determinar nesta quarta-feira (16) a suspensão imediata do funcionamento do WhatsApp em todo o território nacional durante o período de 48 horas a partir da meia-noite desta quinta-feira (17), muita gente já correu para buscar alternativas ao mensageiro pertencente ao Facebook. Contudo, especialistas no assunto informam que seguir a determinação judicial não deve ser assim tão simples.

“É mais fácil falar do que fazer”, comenta o especialista em tecnologia móvel Rogério Saran em entrevista ao R7. “Esse bloqueio é viável, mas improvável porque depende de bloquear os servidores deles, que não estão no Brasil. Ou, em uma outra instância, bloquear o acesso ao IP do serviço, que é retransmitido por vários roteadores, o que também é impraticável.”

E mesmo a outra medida possível — bloquear o acesso aos domínios relacionados ao WhatsApp com a ajuda das operadoras — não seria praticável. As teles, inclusive, já se posicionaram por meio do Sinditelebrasil afirmando que vão cumprir as determinações judiciais conforme suas possibilidades operacionais e técnicas.

Entenda o caso

Nesta quarta-feira, a juíza Sandra Regina Nostre Marques determinou a suspensão do WhatsApp em todo o território nacional. A jurista baseou-se no Marco Civil da Internet, lei que regula o funcionamento da rede no Brasil aprovada em março de 2014. A razão para o pedido foi o não cumprimento de uma determinação judicial de julho deste ano, nem a resposta a uma notificação feita em agosto de 2015. O caso corre em segredo de justiça.

Fonte: R7

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.