Escritora Clara Averbuck relata estupro cometido por motorista da Uber

Por Redação | 28 de Agosto de 2017 às 17h10

Nesta segunda-feira (28), a escritora Clara Averbuck, que fez seu nome pelo seu envolvimento no ativismo feminista, denunciou um estupro cometido contra ela durante uma viagem com a Uber. A empresa disse que o motorista já foi banido e está colaborando com as investigações.

Em seu Facebook, Clara contou que estava alcoolizada, e, por isso, o motorista teria se aproveitado da situação para praticar o ato, como se o fato de uma mulher estar embriagada justificasse o abuso sexual. Ela ainda está decidindo se irá prestar uma queixa na Delegacia da Mulher, uma vez que, apesar de o órgão ser dedicado para esse tipo de ocorrência, muitas mulheres constantemente relatam ter seus depoimentos colocados em dúvida, e serem culpadas pela polícia pelo crime do qual foram vítimas.

Confira a publicação da escritora de 38 anos:

Em nota ao G1, a Uber afirmou que “repudia qualquer tipo de violência contra mulheres”, dizendo que “o motorista parceiro foi banido” e que a empresa está à disposição das autoridades competentes “para colaborar com as investigações”.