China exige que lojas de aplicativos se registrem no órgão regulador da internet

Por Redação | 16 de Janeiro de 2017 às 13h56

O órgão que cuida da regulamentação da internet na China ordenou que as lojas de aplicativos móveis se registrem na Administração de Ciberespaço da China (CAC, na sigla em inglês). A medida ajuda a restringir os softwares que os usuários instalam em seus smartphones.

A maioria dos smartphones na China funcionam com o sistema Android, mas o Google não opera a Play Store no país, o que significa que os usuários precisam recorrer a outras lojas online para baixar aplicativos em seus dispositivos. Como já era de se esperar, um relatório divulgado no ano passado relacionou essa prática com a disseminação de malwares.

Apesar da exigência de registro, o comunicado da CAC não especifica quais medidas tomará para assegurar que todos os mercados se cadastrem e supervisionem o seu conteúdo de acordo com o seu gosto.

A empresa Cheetah Mobile Security relatou que os dispositivos móveis de mais de 1,4 milhões de chineses foram infectados desde janeiro de 2016, número que colocou o país em primeiro lugar na lista dos mais atingidos. Índia e Indonésia ficaram em segundo e terceiro lugar, respectivamente.

"A razão pela qual esses países se tornaram os mais atingidos é que as lojas de aplicativos de terceiros estão prevalecendo nessas regiões e a maioria dessas lojas de apps de terceiros foram contaminadas por malware devido ao fraco monitoramento", disse a empresa chinesa.

Via BBC

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.