Buscas do Google passarão a trazer prévias de vídeo

Por Redação | 21 de Agosto de 2017 às 10h01

A Google está prestes a adicionar mais uma característica a seu motor de buscas, passando a exibir prévias de vídeos entre os resultados mostrados ao usuário. A ideia da empresa é garantir que, quando relevantes, os clipes mereçam a atenção devida como os outros resultados, a partir de um trecho de seis segundos, reproduzido automaticamente na tela, mas sem o som.

A novidade deve chegar primeiro às versões Android e iOS, tanto no navegador Chrome quanto no próprio aplicativo do Google. O algoritmo que define os resultados de busca será o responsável por selecionar o trecho de seis segundos a ser exibido, fazendo isso não apenas a partir do YouTube, mas também de outras plataformas, incluindo players proprietários de sites ou emissoras.

Não será exibido somente os seis segundos iniciais do vídeo, mas sim qualquer trecho que o Google julgar relevante. As alterações necessárias no algoritmo do motor de buscas já estão sendo realizadas de forma que ele passe a reconhecer discursos falados e imagens, entregando o melhor resultado possível para o usuário e o corte de seis segundos adequado para a pesquisa que está sendo realizada.

Para a empresa, todo e qualquer vídeo disponível na rede pode dar as caras nesse novo formato de pesquisas. Entretanto, pode levar algum tempo até que as prévias de conteúdos recentes estejam disponíveis. Nestes casos, o link continuará aparecendo normalmente, como é hoje, em meio aos resultados de artigos e textos.

E se você está preocupado com seu plano de dados, saiba que a Google também pensou nisso. De acordo com a empresa, as prévias em vídeo aparecerão somente quando o dispositivo estiver conectado ao Wi-Fi, a não ser que o próprio usuário opte pelo contrário, algo que poderá ser feito a partir das configurações do navegador mobile ou aplicativos compatíveis com a novidade.

Apesar de oficial, não existe data prevista para que a mudança chegue aos celulares. Como costuma fazer, a Google deve fazer um lançamento silencioso da novidade, liberando-a aos poucos e em fases para os usuários, até que todos possam utilizá-las. A companhia não falou sobre uma previsão de liberação do recurso também para o desktop.

Fonte: TechCrunch