Siga o @canaltech no instagram

Apps de relacionamento fetichista estão em alta nos smartphones

Por Rafael Arbulu | 15 de Março de 2019 às 07h58
(Imagem: Getty Images)

Se tem algum tópico que ainda é, de uma maneira bem boba e tosca, tabu em discussões, esse tópico é “fetiches”. Claro, há sempre aquela “conversa de bar”, em que você e seus amigos discutem um tipo de pessoa que mais lhe chama a atenção, mas “fetiche” por si vai muito além disso, o que intimida alguém a dizer em uma roda de amigos, por exemplo, que gosta de ser o “sub” em uma relação BDSM.

Mas estamos na era da internet móvel e, fazendo jus ao antigo slogan da iTunes Store, “existe um app para isso”: o FET, um app de relacionamentos disponível apenas para aparelhos iOS, busca ser o “Tinder fetichista”, reunindo pessoas com gostos sexuais similares, mas, em qualquer outro aspecto, funcionando como qualquer tipo de software do setor: cadastro simplificado, valorização de perfis com fotos e detalhes biográficos mais completos.

O FET permite atribuir dados simples de cadastro para, em seguida, liberar a busca de pessoas por fetiches similares (Imagem: Reprodução/UOL)

O FET conta com uma lista de pelo menos 50 fetiches, desde o Vanilla (quando a pessoa não tem uma “tara” específica) até preferências mais segmentadas, como o “sub” mencionado acima (aquele que gosta de apanhar em uma relação, digamos, “com mais pegada”). Inicialmente, você preenche seus dados, gênero, orientação e preferências sexuais, além de algumas informações.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

O único problema encontrado até agora reside no fato de ele não fazer um bom aferimento de localização: embora exista um sistema de geolocalização instalado, o app não reflete bem as informações do usuário, por vezes posicionando perfis que têm tudo para se atraírem, mas em cidades diferentes.

O interessante aqui, porém, é que a correspondência entre dois usuários não depende especificamente do “match”: é possível, sim, mandar mensagens privadas a usuários como abordagem inicial (ou mandar um “like”, se a sua timidez ainda levar a melhor sobre a sua iniciativa). Há também fóruns de discussão e links de aprendizado para aqueles que buscam alguém que, com o perdão do trocadilho, possa lhes introduzir algo novo em suas vidas sexuais.

Mas e o Android?

A equipe do Canaltech foi atrás de opções similares para Android, a fim de não deixá-los “na mão” (hehe), tudo, claro, em nome do bom jornalismo ( ͡° ͜ʖ ͡°).

Embora não tenhamos encontrado nenhuma opção tão compreensiva quanto o FET, alguns apps se destacam por atuarem em segmentos próximos dele. São eles:

Kink’d

O Kink’d possui uma abordagem mais generalista e, embora se promova com um direcionamento maior à comunidade BDSM, ele se comporta de forma similar ao FET, porém com uma lista um pouco menor de fetiches e predileções. O funcionamento é basicamente o mesmo, salvo por uma diferença: este app tem o objetivo de ser livre de mentirosos (catfish-free, segundo a descrição dele), então requer que todos os usuários provem ser reais ao pedir uma foto de suas identidades para verificação. Calma, essa foto não fica à mostra no álbum, então não há riscos públicos de mau uso dos seus dados. Ele está disponível para Android e iOS.

(Imagem: Divulgação/PlayStore)

Whiplr

Embora seja um site, tecnicamente falando o Whiplr também possui versões para iOS e Android e seu foco majoritário é oferecer um chat entre usuários. Seu funcionamento não difere muito de redes mais conhecidas, como Badoo ou Jaumo, porém ele tem essa abordagem mais sexualizada. Entretanto, você não vai encontrá-lo diretamente no marketplace da Play Store — o link acima é do “.apk” direto do site.

(Captura de Imagem: Rafael Arbulu)

KNKI

Outra opção que entra na categoria “estamos em tudo”, o KNKI é uma rede social voltada ao fetiche. Novamente enfatizando a comunidade BDSM, mas oferecendo outras opções de fetiche, essa rede possui interações sociais completas, permitindo que você siga usuários de interesse e interaja em alguns pontos de discussões do tema. Entretanto, ele não é muito bem-vindo ao público vanilla, salvo por aqueles dispostos a experimentar a representação de um papel em BDSM. Além do site oficial, há aplicações dedicadas no iOS e Android.

(Captura de Imagem: Rafael Arbulu)

Fonte: UOL

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.