Apple poderá financiar podcasts próprios e exclusivos

Por Felipe Ribeiro | 16 de Julho de 2019 às 22h30
Divulgação
Tudo sobre

Apple

Saiba tudo sobre Apple

Ver mais

A Apple continua a investir na renovação de seus conteúdos originais em diversas plataformas. Desta vez a gigante de Cupertino quer investir em podcasts próprios e exclusivos. De acordo com a Bloomberg, a companhia está buscando empresas de mídia para discutir a realização de determinados programas.

Isso seria completamente novo dentro do ecossistema de podcasts da Apple, uma vez que a empresa sempre desempenhou um papel neutro no podcasting, no qual qualquer pessoa podia fazer o upload de seu podcast no aplicativo da Apple e distribuí-lo pela plataforma. A Maçã apenas faz a curadoria de listas e destaca os programas, mas essas escolhas nunca foram financiadas, propriamente.

A mudança no modelo de negócios não é necessariamente inesperada, mas seria interessante para a indústria do entretenimento. Um dos rivais da Apple, o Spotify, por exemplo, anunciou no começo do ano que planeja gastar US$ 500 milhões (R$ 1,8 bilhões) em aquisições relacionadas a podcasts. Recentemente, a plataforma adquiriu duas redes, a Gimlet Media e Parcast, ambas realizando programas bem populares. De agora em diante, os produtos dessas redes só estarão disponíveis por meio do Spotify.

A investida da Apple em programas exclusivos, segundo especialistas, poderia mudar fundamentalmente a indústria. Segundo dados do próprio Spotify, mais de 50% das pessoas ouvem podcasts por meio de dispositivos ou plataformas da Maçã. Caso a empresa comece a criar alianças a redes de programas específicos, os criadores de conteúdo podem ser levados a optar por acordos de exclusividade, em vez de distribuir o programa em todos os aplicativos.

Aplicativos para Podcasts

A Apple lançou o Podcast Analytics no ano passado, uma espécie de serviço que oferece aos criadores de podcast mais informações sobre seus ouvintes e desempenho. Este ano, porém, a Maçã anunciou um aplicativo Podcasts dedicado para computadores Mac (como parte do desmembramento do iTunes), e lançou uma interface web para expandir a quantidade de pessoas que podem ouvir esses programas por meio de seu serviço.

Fonte: The Verge , Bloomberg

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.