App Lulu volta ao Brasil em julho e será liberado para homens

Por Redação | 13 de Julho de 2015 às 16h38
photo_camera Divulgação

Após quase dois anos banido do Brasil, o polêmico "Lulu" voltará ao país em breve. De acordo com Luluvise, empresa responsável pelo aplicativo, a ferramenta estará disponível até o final de julho e ganhará novidades para agradar tanto as mulheres, o principal público alvo do app, quanto os homens.

Para quem não sabe, o Lulu é direcionado especificamente para as mulheres, que por sua vez avaliam usuários do sexo oposto pelo app. Elas podem colocar notas e hashtags que descrevem o desempenho do parceiro, ou ainda avaliar amigos que conhecem, namoraram, saíram ou apenas conhecidos por fotos nas redes sociais. A usuária pode atribuir notas de zero a dez e até procurar por meninos em locais específicos, como no bairro onde a moça mora ou num restaurante, por exemplo.

Tudo funciona de forma anônima, o que significa que, embora os nomes e fotos dos rapazes estejam visíveis, as mulheres que fazem uso do app não são identificadas. Por isso, não é possível saber de quem partiram as avaliações, sejam elas positivas ou negativas.

O Lulu chegou ao Brasil em novembro de 2013, e não demorou muito para chegar ao topo dos apps mais baixados da App Store. Foram mais de 5 milhões de visitas e meio bilhão de visualizações de perfis de homens feitas por usuárias brasileiras.

Mesmo com tanto sucesso, a polêmica envolvendo o software começou quando alguns homens não concordavam com a política de funcionamento do aplicativo, além de se sentirem lesados pelo uso de suas imagens. Alguns garotos também entraram na Justiça pedindo indenizações de mais de R$ 20 mil por danos morais, e até um app concorrente surgiu no meio dessa novela: o Tubby, que veio com a mesma proposta do Lulu, só que ao contrário - os homens é que avaliavam as mulheres.

Segundo Alexandra Chong, presidente-executiva da Luluvise, o Lulu voltará com tudo ao país, mas com melhorias. Entre elas está a de que o serviço não será mais vinculado ao perfil do Facebook da usuária, que a partir de agora precisará inserir o número de celular para usar o aplicativo. Além disso, os homens poderão entrar na ferramenta e checar quais notas receberam e quem são suas admiradoras secretas. É o fim do anonimato no Lulu.

Lulu

Haverá também um canal de comunicação para incentivar a paquera entre os usuários. Neste caso, as mulheres terão um canal de comunicação que vai possibilitar um contato direto com os rapazes que mais curtirem, e conversas sobre sexo e relacionamento não serão proibidas.

"Há demanda para um serviço que agregue inteligência aos encontros românticos. Nós reconstruímos o app com uma série de funcionalidades incríveis para homens e mulheres e estamos extremamente empolgadas em trazer o Lulu de volta ao Brasil", declarou Alexandra.

Os interessados em experimentar a nova fase do Lulu pode se cadastrar em uma lista VIP neste site e receber em primeira mão o aplicativo, que continuará totalmente gratuito. Ele deve chegar para aparelhos com sistemas operacionais iOS e Android.

Fonte: G1

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.