Unicef lança aplicativo para combater a exploração sexual infantil

Por Redação | 21.05.2014 às 12:37

A Unicef lançou esta semana o Proteja Brasil, uma campanha nacional de combate à exploração sexual de crianças e adolescentes. Na rota do turismo sexual, o Brasil despontou como um dos destinos preferidos para esse fim entre as décadas de 1980 e 1990 com a saturação do "mercado" asiático.

Patrocinada pela Organização Mundial de Turismo (OMT), uma pesquisa revelou o perfil do turista sexual que vem ao país. Na maioria das vezes, ele é de classe média, tem entre 20 e 40 anos de idade, viaja desacompanhado ou com outros homens e são na maior parte italianos, portugueses, holandeses e norte-americanos. Perfil coincide com o grande número de visitantes que estarão no país para a Copa do Mundo.

O agravante dessa situação é justamente a exploração sexual de crianças e adolescentes. "Em 2013, o Disque 100 recebeu mais de 124 mil denúncias de violência contra crianças e adolescentes. Isso significa que 14 casos de violência foram registrados, em média, por hora no ano passado", aponta a pesquisa. Visando o combate dessa prática, a Unicef desenvolveu um aplicativo para iOS e Android que, a partir do local onde o usuário se encontra, consegue obter informações como telefones e endereços de delegacias especializadas, conselhos tutelares, varas de infância e juventude e organizações que combatem a violência contra crianças e adolescentes mais pŕoximas para fazer uma denúncia.

O aplicativo ainda classifica outros sete tipos de violações de direitos que podem e devem ser denunciados: trabalho infantil, violência física, violência psicológica, discriminação, tortura, tráfico de pessoas e negligência e abandono.

Com o slogan “Está em suas mãos proteger nossas crianças”, o Proteja Brasil está disponível em inglês, português e espanhol e já pode ser baixado gratuitamente na Google Play Store e na Apple App Store.