Uber pretende ter mais de um milhão de motoristas mulheres até 2020

Por Redação | 11.03.2015 às 07:28

O Uber, sistema de transporte que conecta motoristas e passageiros através de um aplicativo, anunciou que pretende criar um milhão de empregos de motorista para mulheres até 2020. A intenção surgiu depois que várias passageiras reclamaram de ataques e assédios sofridos em algumas cidades por motoristas homens.

Dados da Reuters mostram que, nos Estados Unidos, apenas 14% de seus 160 mil motoristas são mulheres. A advogada do Uber, Salle Yoo, diz que o serviço não exige um mínimo de horas e nem uma agenda, afirmando que seria um motivo interessante para as mulheres aderirem ao aplicativo. "Ele oferece a chance de ser empreendedora, a chance de equilibrar trabalho e família", diz.

Yoo também afirma que ainda não existe um recurso para que as passageiras escolham motoristas mulheres, mas faz questão de ressaltar a segurança do aplicativo, que possui recursos que incluem dados sobre o motorista e a função de compartilhar o tempo estimado de chegada com outros usuários.

O app já sofreu acusações de ataques e estupros em cidades como Boston e Chicago, nos Estados Unidos, e em Nova Déli, na Índia. No país asiático, inclusive, o Uber lançou um "botão do pânico" para as usuárias que se sentirem ameaçadas.