Grooveshark contorna proibição e volta aos aparelhos móveis

Por Redação | 06.09.2012 às 12:45

O Grooveshark encontrou seu caminho de volta para os dispositivos iOS e Android - apesar das proibições oficiais da Apple e do Google - com o lançamento de um aplicativo em HTML5, conforme informações do Engadget.

Atualmente, mais de 20 milhões de ouvintes registrados usam a plataforma online gratuita de streaming de música. O Grooveshark continua enfrentando uma série de queixas legais.

Ao longo dos anos, importantes gravadoras dos EUA, incluindo a EMI, Universal, Sony e Warner Music, processaram o Grooveshark por violação de direitos autorais e pagamentos de royalties.

Com todos esses problemas, tanto o Google como a Apple removeram o aplicativo de suas lojas de aplicativos para mobile. Agora, com o novo lançamento, a única maneira de bloquear o Grooveshark HTML5 é se a Internet vier abaixo. Ou com um belo processo judicial partindo de alguma gravadora...

Grooveshark HTML5

"O Grooveshark para usuários móveis será, inicialmente, gratuito", diz o fundador do serviço, Sam Tarantino, ao Mashable. "Queremos mostrar aos usuários móveis o que pode ser feito com um navegador web. À medida em que crescemos no ecossistema dos dispositivos móveis vamos pensar em um modelo premium".

Com o novo site em HTML 5, os usuários podem contar com um catálogo de 15 milhões de músicas, sempre em movimento.

"Essa luta está longe de terminar e nós vamos nos defender. Acreditamos que estamos bem e que nós construímos uma centena de serviços que beneficiaram milhares de artistas independentes que se inscreveram e forneceram conteúdo para nós", completa Tarantino.