Aplicativos móveis devem gerar US$ 420 bilhões em receita no mundo todo em 2015

Por Redação | 05 de Março de 2015 às 08h07
Divulgação

De acordo com previsões da consultoria Vision Mobile, especializada em análise do ecossistema de desenvolvedores de aplicativos, os apps móveis devem gerar uma receita de até US$ 420 bilhões no mundo todo neste ano. A principal fatia do faturamento, que representa US$ 300 bilhões, será oriunda do comércio móvel, ou seja, da venda de produtos e serviços através do celular. Esse e outros dados fazem parte do relatório "State of the Developer Nation", divulgado pela Vision Mobile no final de fevereiro. A pesquisa abordou mais de 8 mil desenvolvedores de 143 países.

Além da venda de produtos e serviços via celular, outras fontes de receita também se destacam. É o caso, por exemplo, das vendas nas lojas de aplicativos, que devem corresponder a US$ 40,5 bilhões; publicidade, US$ 34 bilhões; contratos para desenvolvimento de aplicativos para terceiro, US$ 18,5 bilhões; assinaturas, US$ 9 bilhões; além de outras fontes que juntas devem representar US$ 18 bilhões.

A Vision Mobile estima que existam cerca de 5,5 milhões de desenvolvedores móveis no mundo. No entanto, apenas 9% deles trabalham com m-commerce, apesar de ser o modelo de negócios que mais fatura. De acordo com o relatório, 37% monetizam seus apps por meio das lojas de aplicativos, 36% com publicidade, 25% com contratos de terceirização de programação, 18% com assinaturas e 34% com outras fontes. A soma dos percentuais supera 100%, visto que um mesmo desenvolvedor pode trabalhar com mais de um modelo de negócio.

Assista Agora: Gestor, descubra os 5 problemas que suas concorrentes certamente terão em 2019. Comece 2019 em uma nova realidade.

O estudo também analisou a receita média mensal de cada desenvolvedor de aplicativo. Removendo aqueles que desenvolvem apenas por diversão ou aprendizado, 17% dos desenvolvedores de apps no mundo não estão gerando qualquer tipo de receita para suas aplicações. Outros 18% conseguem gerar menos de US$ 100 por mês e 17% entre US$ 100 e US$ 1 mil. Assim, o estudo concluiu que 52% dos desenvolvedores móveis do mundo geram menos de US$ 1 mil por mês com seus aplicativos. Tal dado mostra a atual dificuldade em conseguir monetizar este tipo de serviço.

Os outros 48% que faturam acima de US$ 1 mil são divididos da seguinte forma: 24% faturam entre US$ 1 mil e US$ 10 mil por mês com aplicativos, 14% conseguem entre US$ 10 mil e US$ 100 mil, 5% conseguem atingir entre US$ 100 mil e US$ 500 mil e, por fim, 5% superam a marca de US$ 500 mil mensais.

Ainda de acordo com o estudo, 71% dos desenvolvedores escolhem o Android como plataforma para suas aplicações. Em seguida aparecem o iOS (54%), Windows Phone (30%), HTML 5 (25%), Windows 8 (21%) e BlackBerry 10 (14%). O relatório emitido pela Vision Mobile assegura que os desenvolvedores que priorizam o iOS costumam gerar receita mensal maior comparado a outras plataformas.

Se analisado apenas os desenvolvedores que escolhem apenas uma plataforma, o iOS aparece em primeiro na Europa e América do Norte, com 42% dos profissionais, contra 33% do Android. No restante do mundo, o sistema do Google é preferido por 48%, enquanto o da Maça é exclusiva para 30%.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.