Antivírus: um exército silencioso em prol da sua segurança

Por Mariano Sumrell | 11 de Dezembro de 2012 às 14h27

Antivírus são como peneiras: permitem que alguns conteúdos sejam liberados enquanto bloqueiam os indesejados. Além disso, o objetivo tanto da peneira quanto dos antivírus é eliminar resíduos que você nem tinha notado que estavam lá. Como a ação desses softwares também é silenciosa, alguns usuários questionam se a proteção de seu computador realmente está ativa.

Fique tranquilo, enquanto você navega pela internet, trabalha ou se diverte no computador ou dispositivo móvel, seu antivírus está atuando de diversas formas para evitar riscos à sua segurança ou sua família. A ação mais conhecida desse tipo de programa é o escaneamento, programado para ser feito periodicamente ou iniciado manualmente pelo usuário. Mas, essa é apenas uma das funcionalidades dos antivírus.

A maneira tradicional dos softwares identificarem um vírus é a detecção por assinatura, que permite identificar ameaças conhecidas de forma muito eficiente. Há também a detecção heurística, que busca códigos suspeitos não conhecidos, inclusive os vírus polimórficos (que se modificam para dificultar a detecção). A análise comportamental dos programas em execução também busca por ameaças não conhecidas, verificando se algum dos softwares está acessando a internet sem o comando do usuário, por exemplo.

Os antivírus também detectam malwares vindos de sites maliciosos, além de oferecerem firewall. Ou seja, são muitas variáveis estudadas simultaneamente pelo software e isso faz com que a proteção atue de forma diferente em cada máquina, dependendo dos programas instalados, sites visitados e comportamento do usuário. Por isso, mesmo quando você e um amigo utilizam o mesmo antivírus, a performance do programa em cada máquina é diferente.

Durante toda sua atividade no computador, há um verdadeiro exército silencioso agindo pela sua segurança e de seus dados. Tanto soluções gratuitas quanto as pagas oferecem um nível de proteção similar, a principal diferença entre as ferramentas é que as opções pagas oferecem suporte técnico, trazem recursos adicionais como firewall e atualizações mais frequentes. Ambas as soluções detectam a grande maioria das ameaças, que não seriam notadas nem por usuários mais experientes sem a ajuda do software.

Em suma: em um momento em que cada vez mais aspectos das nossas vidas estão ligados às informações e dados inseridos em dispositivos vulneráveis à ciberataques, antivírus são essenciais. Seu custo é baixo se comparado ao custo total de um computador, notebook ou dispositivos móveis ou ao valor de várias horas de trabalho, dados bancários, fotos familiares, segurança dos filhos e outras informações pessoais que podem ser invadidas por terceiros.

Para finalizar, é importante ressaltar que a dupla ideal para a segurança online é comportamento seguro somado a um antivírus adequado. Esteja sempre alerta quanto às últimas tendências do mundo das ameaças e fique atento aos links recebidos ou qualquer mensagem suspeita.

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.