Por R$ 499, novo Vibe B é a alternativa da Lenovo ao Moto E de 3ª geração

Por Redação | 02 de Setembro de 2016 às 20h50

Continuando com sua estratégia de substituir os dispositivos Motorola mais baratos com modelos de sua linha Vibe, a Lenovo aproveitou esta sexta-feira (2) para anunciar o Vibe B, o novo smartphone de entrada da companhia, e que também é alternativa ao Moto E de 3ª geração, cancelado para o Brasil. Com um preço sugerido de R$ 499, o novo modelo nos faz perguntar se esse valor corresponde mesmo àquilo que entrega:

Vibe B, Lenovo

(Foto: Divulgação/Lenovo)

A iniciar pelo hardware, o Vibe B tem um processador MediaTek MT6735, que, com 1GHz de frequência e quatronúcleos de processamento, foi desenvolvido em 2015 para bater de frente com o Qualcomm Snapdragon 410. A RAM é de 1GB, com um armazenamento interno de 8GB, e suporte a cartões microSD de até 32GB. Já as câmeras são de 5 megapixels no sensor traseiro e 2 megapixels no sensor frontal, com suporte a filtros de beleza e suavização de pele, algo bastante comum nas fabricantes asiáticas.

A tela do Vibe B tem 4,5 polegadas e resolução de 854 x 480 pixels, sendo feita com um painel LCD TFT inferior ao IPS visto no Moto E 2, por exemplo. Mas calma, nem tudo é negativo: o Android embarcado no modelo é o 6.0 Marshmallow, e o aparelho ainda tem suporte a dois SIM cards e conexão 4G. A bateria tem 2.000mAh – que embora pareçam diminutos, devem dar uma boa autonomia ao Vibe B por causa de seu hardware bastante econômico.

Vibe B, Lenovo

O gadget terá o acabamento traseiro disponível nas cores preta e dourada (Foto: Divulgação/Lenovo)

Se estivéssemos em 2015, talvez fosse plenamente aceitável pagar esse valor num dispositivo do gênero (visto que o Moto G de 1ª geração, por exemplo, tinha um conjunto similar e custava cerca de R$ 200 a mais). Mas se levarmos em conta o ano em que estamos e compararmos o Vibe B com seus antecessores, os Moto E 1 e 2, vemos que ele não apresenta grandes evoluções em nenhum aspecto, muito pelo contrário, já que em alguns pontos, como a tela, o dispositivo da Lenovo é inferior àqueles apresentados pela Motorola no passado.

Bons aparelhos na faixa dos R$ 500 nunca foram tão difíceis de encontrar, e os modelos que já preencheram essa categoria acabaram subindo de patamar e ficando mais caros. Tudo isso daria à Lenovo o terreno perfeito para popularizar a sua linha com modelos acessíveis e de hardware mais poderoso do que este acima. Se pensarmos que o Vibe C2, um modelo de processador e RAM idênticos aos do Vibe B, recebeu duras críticas em nossa análise, fica difícil acreditar que o novo gadget seja muito diferente.

Com informações do MobileTime

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.