Não vingou: projeto Android One, do Google, recua em vendas na Índia

Por Redação | 16 de Junho de 2015 às 12h42
photo_camera Divulgação

Lembra quando o Google Glass foi vendido como um produto revolucionário, mas que no final das contas se tornou um verdadeiro fracasso? Pois bem, tudo indica que um outro projeto encabeçado pela gigante das buscas está prestes a seguir o mesmo caminho. Trata-se do Android One, que está em fase de testes há alguns meses na Índia.

Anunciado há cerca de um ano, o Android One tem como objetivo principal levar celulares inteligentes mais baratos para países em desenvolvimento. O grande diferencial do programa está na atualização do sistema operacional: em vez do usuário ter de esperar meses por um upgrade na plataforma, ou recebê-lo por conta de processos burocráticos das fabricantes, o aparelho é atualizado pelo próprio Google, e não pela marca que produziu aquele celular. Dessa forma, os consumidores têm garantia de que, ao comprarem um novo telefone, terão atualizações constantes e imediatas liberadas pelo Google.

A ideia é semelhante ao que já acontece nos produtos da linha Nexus: de um lado, o Google fornece o software e garante que ele seja atualizado constantemente; do outro, fabricantes locais ficam responsáveis pela produção do hardware, ou seja, constroem os próprios aparelhos.

Num primeiro momento, o projeto parecia promissor, uma vez que nem todos aqueles que moram em países emergentes têm recursos para adquirir um celular com acesso à internet. No caso da Índia, onde a iniciativa foi lançada, as operadoras Micromax, Karbonn e Spice cuidaram da fabricação de novos aparelhos participantes do programa do Google. No entanto, como informa o The Economic Times, as três companhias anunciaram que não planejam lançar novos dispositivos para o Android One e que estão fazendo de tudo para vender o estoque dos gadgets já existentes.

Além disso, o site afirma que o Google teria se reunido com outras fabricantes na Índia para impulsionar a adesão do projeto, entre elas a Intex, Lava e Xolo. Mesmo assim, as negociações não avançaram e nenhuma aceitou ingressar no projeto. "Tudo estava finalizado, o produto estava pronto, mas a resposta do mercado [ao Android One] não estava lá. Então desistimos da ideia", comentou Sanjay Kalirona, chefe da divisão de smartphones na Intex.

Para efeito de comparação, em setembro de 2014, quando os primeiros telefones do Android One chegaram à Índia, o número de aparelhos vendidos ultrapassou as 229 mil unidades. Essa quantidade foi regredindo nos meses seguintes, passando para 201 mil em outubro e 107 mil em novembro. Em maio deste ano, apenas 45 mil celulares foram comercializados. Entre setembro e maio, os produtos responderam por entre 2% e 2,5% das vendas de smartphones na Índia.

Em resposta à fraca adesão do mercado, o Google disse ao Economic Times que não desistiu do programa Android One. "Aprendemos muito com nossos parceiros desde o início. Ao longo do tempo, conforme trabalharmos com eles, continuaremos tendo certeza de que faremos as coisas de uma maneira muito melhor", declarou a empresa.

Fonte: The Economic Times

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.