Gráfico mostra como está a fragmentação do Android em 2015

Por Redação | 07 de Agosto de 2015 às 08h39

A fragmentação do Android ainda é um tema que gera muito debate quando falamos do sistema operacional móvel do Google. Com fabricantes de hardware díspares e versões antigas ainda sendo utilizadas, não há uma uniformidade em torno do sistema. Basicamente, a fragmentação acontece quando várias empresas lançam seus smartphones e deixa de atualizá-los, fazendo com que os consumidores utilizem uma versão defasada do Android.

A atualização do Android depende exclusivamente dos fabricantes de hardware, que devem pegar as versões mais recentes disponibilizadas pelo Google e efetuar as modificações necessárias para que rodem em seus aparelhos. Apesar de gerar uma certa bagunça, a fragmentação é algo que está intimamente ligada ao desenvolvimento de software e ao surgimento de novos dispositivos.

O Google nos oferece uma visão superficial da adoção das diversas versões do Android, mas a empresa responsável pela ferramenta Open Signal resolveu ilustrar (literalmente) melhor o que está acontecendo com os dispositivos que rodam o SO da gigante da web. O Open Signal é um app que ajuda a mapear a cobertura de celular, encontrar pontos de acesso Wi-Fi, testar e melhorar sua recepção e obter dados mais rapidamente.

A pesquisa é resultado de uma amostragem de 682 mil dispositivos Android, dos quais 24.093 entraram para a lista de suportados pelo Open Signal neste ano. Dos dispositivos listados no estudo, 37,8% são da Samsung; uma porcentagem enorme e ainda mais impressionante quando você leva em conta que existem 1.294 fabricantes representados.

O gráfico abaixo mostra a enorme expansão do número de fabricantes de dispositivos Android nos últimos anos – o número aumentou quase seis vezes desde 2012:

Gráfico fragmentação Android

Já o GIF abaixo mostra um comparativo da fragmentação de dispositivos em agosto de 2014 e o mesmo período deste ano. De acordo com a Open Signal, a fragmentação do Android mais do que duplicou em apenas dois anos.

AndroidFragmentationTNW

A fragmentação de marcas também foi avaliada pelo estudo. Como já era de se esperar, a Samsung se destaca perante os concorrentes, mas a surpresa mesmo fica por conta de empresas como a ZTE e Xiaomi (a parte rosa ao lado da ZTE).

Na verdade, a Xiaomi ainda repercute notícias no mercado, principalmente por se sair muito bem na China e agora estar expandindo seus negócios internacionalmente, mas a ZTE raramente é citada quando o assunto é dispositivos Android, apesar de ter números bem parecidos com a Xiaomi na ilustração da Open Signal.

Embora cada usuário deva usar o aparelho que mais lhe agrada, o sistema operacional é o que realmente importa. Já passamos da metade do ano e a distribuição do Android ainda está uma bagunça. Atualmente, cerca de 5,7% dos aparelhos Android funcionam com a versão 2.3 Gingerbread do sistema, que foi lançada em 2010.

Outro número que chama a atenção é a porcentagem de usuários que utilizam a versão KitKat – um número muito maior do que aqueles que adotaram a versão 5.0 e 5.1 do Android e ainda continuam em minoria.

Uma comparação entre Android e iOS aponta que o iOS 8 lidera entre os usuários de iPhones, representando 85% dos aparelhos contra apenas 2% de usuários ainda utilizando o iOS 7. Já o Android 5.0 e 5.1 (Lollipop) combinados somam uma quota de apenas 12,4% da adoção de usuários de dispositivos Android.

Mas afinal, por que a adoção da versão mais recente do Android está demorando tanto para alcançar os números dos seus concorrentes? E por que o seu smartphone ainda não está rodando o Android Lollipop? Confira nosso artigo sobre as atualizações do Android.

Via The Next Web

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.