Estudo mostra o quanto os bloqueios do Android podem ser previsíveis

Por Redação | 24 de Agosto de 2015 às 09h47

O quão complexo é o seu código de desbloqueio do Android? Por conta de suas milhares de combinações, muita gente acha que é praticamente impossível quebrar a proteção do sistema, mas parece que a realidade é um pouco diferente do que diz o senso comum. Isso porque, segundo um estudo recente, o padrão usado pela grande maioria dos usuários é basicamente a mesmo.

O estudo foi feito pela Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia e verificou que a variedade de combinações é bem reduzida e que isso faz com que a utilização indevida dos aparelhos seja bem previsível. Apenas para ter uma ideia, de acordo com uma das idealizadoras do projeto, Marte Løge, 77% dos participantes da pesquisa começavam o desenho a partir de um dos cantos, sendo que 44% vinham sempre do canto superior esquerdo — ou seja, a opção mais óbvia.

Apesar dessa ser uma constatação bastante simples de ser feita, foi algo que pegou muita gente de surpresa pelo simples fato de que ninguém tinha se atentado para isso até então. Apresentados durante o PasswordCon, evento especializado em segurança realizado em Las Vegas no início do mês, os resultados mostraram como as opções adotadas pelas pessoas são limitadas.

Android Bloqueio

Segundo Løge, há algumas soluções simples para você otimizar a segurança do bloqueio de seu Android, como cruzar o traçado e não o começar por um dos cantos, além de fazer um desenho maior e mais complexo. No entanto, ao que tudo indica, a grande maioria das pessoas opta pela simplicidade e simplesmente ignora esses conceitos.

A pesquisadora afirma que ainda há um bom número de usuários que acredita que desenhar uma letra no padrão de desbloqueio é uma saída eficiente. Segundo ela, dos quatro mil padrões analisados, 10% deles consistiam em reproduzir alguma parte do alfabeto — alguns, inclusive, correspondem à inicial do nome do usuário, o que torna tudo ainda mais vulnerável.

Apesar de demonstrar o quanto esses códigos são previsíveis, o estudo não vai a fundo na tentativa de descobrir quais as razões que fizeram as pessoas adotarem soluções tão banais de segurança. Isso pode servir de brecha para uma segunda pesquisa ou simplesmente foi negligenciado de maneira proposital, mas é algo que pode revelar que a real preocupação das pessoas com invasões em dispositivos móveis.

Por outro lado, como aponta o site The Next Web, o estudo norueguês pode trazer algumas consequências positivas aos usuários em um futuro breve — pelo menos àqueles que realmente se preocupam em manter seus smartphones longe de dedos curiosos. Como relembra a página, apps focados na criação de senhas, como o 1Password, podem se aproveitar dessa descoberta para começar a sugerir maneiras mais eficientes de bloquear o Android, sugerindo padrões mais complexos e menos previsíveis do que as pessoas estão acostumadas a usar.

Via: The Next Web

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.