Especialistas alertam para malware bancário disponível no Google Play

Por Redação | 04 de Outubro de 2017 às 13h15

A ESET, empresa especializada em segurança digital e verificação de ameaças, emitiu um novo alerta relacionado à presença de malware na Google Play Store. A bola da vez, novamente, é o BankBot, um trojan que já havia sido detectado no começo do ano e que, agora, voltou a aparecer na loja oficial de aplicativos para Android disfarçado como o game Jewels Star Classic.

Utilizando o nome de uma saga popular de títulos móveis free-to-play, os hackers tentam acesso aos smartphones das vítimas, em busca de dados bancários e informações de cartões de crédito. O malware utiliza métodos arrojados para ludibriar os infectados a entregarem as permissões necessárias para seu funcionamento, executando muitas tarefas em segundo plano e contando com a ingenuidade das vítimas para ações que exigem a participação delas.

O arquivo baixado da Google Play Store efetivamente dá acesso ao game Jewels Star Classic, mas traz consigo características maliciosas. 20 minutos depois da instalação, o usuário é surpreendido com uma tela para habilitação de um tal “Serviço Google”, que seria necessário para funcionamento correto do sistema operacional. O display é travado com a informação, que aparece mesmo que o jogo não esteja mais sendo executado, e não há opção negativa para essa habilitação.

É aí que o BankBot começa a agir, trazendo para si as permissões de acesso a recursos como ligações, mensagens de texto, gerenciador de dispositivos e, principalmente, instalação de novos aplicativos. A partir disso, o malware baixa outros apps maliciosos que varrem o dispositivo em busca de informações bancárias, além de substituir o software legítimo da Google Play Store por uma versão falsa que tenta levar os usuários a inserirem novamente os dados de cartão de crédito.

Por meio do acesso aos SMSs, ainda, os hackers tentariam burlar sistemas de verificação de duas etapas usados por aplicativos bancários, em uma tentativa de obter acesso a contas para transferências de fundos. Essa seria a última etapa do golpe, com tentativas sucessivas acontecendo enquanto o malware estiver ativo no aparelho.

Para verificar uma possível infecção, que por enquanto, só foi descoberta por meio da instalação da versão falsa do Jewel Star Classic, os usuários devem procurar por um aplicativo chamado “Google Update” em meio à lista de softwares instalados. Aparições constantes do pedido de autorização para o tal Serviço Google também são indicações de que o dispositivo está infectado.

A identificação do malware em uma única aplicação, entretanto, não significa que outros softwares também não possam estar comprometidos. Por isso, a ESET recomenda o uso de soluções de segurança sempre atualizadas, que podem evitar a contaminação do dispositivo. Mesmo com a presença da praga na Google Play Store, o uso de lojas oficiais continua sendo a indicação.

Vale a pena, ainda, verificar a de autoria dos softwares baixados para garantir o download, somente, das soluções legítimas. Uma boa forma de fazer isso é observar o nível de popularidade das aplicações ou usar links diretos, a partir de sites oficiais. Além disso, outra boa tática para se proteger é prestar atenção nas permissões exigidas pelos apps instalados, considerando se o software em questão realmente necessita de acesso ao que está pedindo.

Fonte: ESET

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.