Como o Google controla e evita malwares no seu smartphone?

Por Redação | 19.01.2017 às 17:25 - atualizado em 19.01.2017 às 17:57

Por ser uma plataforma mais aberta a desenvolvedores, o Android sofre com a alta incidência de softwares indesejados que são baixados juntos aos aplicativos. Recentemente, um malware chamado Gooligan afetou mais de 1 milhão de usuários, aumentando a discussão sobre a segurança imposta pelo Google em sua plataforma, diferentemente da Apple, que controla com mão de ferro o ecossistema de apps para sua iOS.

Entretanto, o Google tem uma operação fixa para evitar que softwares maliciosos infestem o gigante catálogo de apps na Google Play. Em um artigo para o site norte-americano Digital Trends, a empresa falou mais como desempenha este papel.

Segundo a companhia de Mountain View, cada app é escaneado em busca de malwares e outros programas indesejados antes de ser listado na Play Store. Mesmo assim, os scans não garantem totalmente a segurança do app, ainda possibilitando o download de malwares.

Para evitar que isso aconteça, o Google também monitora o uso de apps depois que ele é instalado no sistema Android, dentro do smartphone do usuário. A empresa observa padrões de utilização dos apps através de suas comunicações com o servidor do Google e os engenheiros da empresa tentam detectar se a aplicação está acessando conteúdos indevidos - como configurações do sistema ou protocolos de segurança - durante o seu uso.

Caso um app tente cortar as comunicações entre o app e o dispositivo, os engenheiros também podem fazer este monitoramento, detectando períodos de falta de conexão entre os usuários de um mesmo app. Isso pode ocasionar inclusive uma alteração direta no app para a investigação de práticas não autorizadas.

Apesar de todas estas medidas, os usuários não estão livres de sofrerem com infeções de vírus e malwares via os mais de 1 milhão de apps e games no Android. Portanto, um bom app antivírus sempre ajuda. Precisa de um? Aqui tem umas dicas do Canaltech.

Fonte: The Next Web