Leitor biométrico deve chegar ao Android em seis meses, diz jornal

Por Redação | 07 de Outubro de 2013 às 13h23

A FIDO Alliance, um grupo de grandes empresas de tecnologia encabeçado por Lenovo e PayPal, informou ao jornal USA Today que está desenvolvendo uma tecnologia similar à de um leitor biométrico para smartphones com sistema Android no início de 2014, com o objetivo de facilitar a vida digital dos usuários.

A ideia é de que a novidade "permita aos consumidores acessar serviços móveis com facilidade, mas mantendo a boa segurança". Entretanto, a proposta não é criar uma tecnologia rival à do Touch ID, leitor de impressões digitais da Apple presente no iPhone 5S, mas isso mostra um destino em comum entre as companhias desse segmento.

A FIDO tem o objetivo de criar um novo padrão para essa tecnologia entre as fabricantes de hardware, no qual a Apple ainda não se encaixa. Além da facilidade de uso trazida pela novidade, o número de senhas que teríamos que memorizar cairia consideravelmente se, por exemplo, pudéssemos fazer a autenticação de serviços de e-mail, redes sociais e bancos apenas com a nossa impressão digital.

A Apple não se enquadra no padrão da FIDO, talvez, devido às falhas que o Touch ID ainda possui. Por exemplo, você pode cadastrar um mamilo ou a pata de um gato para desbloquear o iPhone 5S.

Sem relação com a FIDO Alliance, o primeiro smartphone a contar com um leitor de impressões digitais foi o Atrix, da Motorola. No entanto, ele tem alguns bugs: às vezes, o sensor não funciona e é preciso reiniciar o aparelho. Diferentemente do Touch ID, a tecnlogia da Motorola funciona apenas para desbloquear a tela do dispositivo, e não para autorizar transações financeiras em lojas online.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.