Google quer ver aplicativos Android rodando nos Chromebooks

Por Redação | 25 de Junho de 2014 às 19h30
TUDO SOBRE

Google

Uma das principais palavras do Google durante a conferência de abertura do I/O 2014 foi convergência. Após anunciar o Material Design, um norte visual para todas as soluções da companhia, a empresa diz estar agora nos estágios iniciais de um processo que vai trazer os aplicativos e notificações do Android também para os Chromebooks.

A novidade foi anunciada por Sundar Pichai, vice-presidente executivo do Google, na tarde desta segunda-feira (25). De acordo com as informações publicadas pelo site Phone Arena, a ideia é permitir que os usuários leiam mensagens, chequem o nível de bateria e até mesmo atendam chamadas a partir dos notebooks, de forma semelhante ao que a Apple apresentou em sua conexão entre o iPhone e o Mac OS X.

Mas, mais do que isso, a ideia é que, no futuro, todos os aplicativos disponíveis para Android sejam compatíveis com o Chrome OS, aumentando significativamente a oferta de soluções disponíveis nos pequenos aparelhos. No palco, essa integração foi mostrada com apps de renome como Evernote, Flipboard e Vine, mas apesar deles já estarem funcionais, Pichai diz que essa integração ainda tem um longo caminho pela frente.

PECHINCHAS, CUPONS, COISAS GRÁTIS? Participe do nosso GRUPO DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Quando a novidade estiver disponível, em alguma data ainda não revelada, o usuário poderá escolher a forma como os aplicativos são exibidos na tela. Eles podem aparecer em “modo celular”, na vertical, ou tomar conta de todo o display, assumindo o mesmo estilo de exibição disponíveis nos tablets. Cada um poderá escolher a forma que mais convém, da mesma maneira que cada app pode ser customizado para funcionar da melhor maneira possível.

A performance da portabilidade impressionou os presentes no Google I/O. Os softwares também têm acesso a outros recursos dos computadores, como a webcam e o drive SSD para armazenamento de aplicativos. Tudo funciona mais ou menos como no mundo mobile, só que no Chromebook.

Por outro lado, o principal problema aqui está relacionado ao uso da touchscreen. Enquanto a esmagadora maioria dos dispositivos com Android conta com uma tela sensível ao toque, o exato oposto é a realidade dos Chromebooks. Assim, seria preciso criar maneiras de garantir que todos os comandos funcionem a partir de mouses ou do touchpad dos computadores, o que nem sempre pode ser uma solução adequada quando se pensa em apps que abusam de movimentos com os dedos pela tela.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.