Estudo: Android 4.2 detecta apenas 15% dos apps maliciosos

Por Redação | 11 de Dezembro de 2012 às 17h09

Xuxian Jiang, pesquisador da Universidade Estadual da Carolina do Norte, desenvolveu um projeto para testar a eficácia da nova funcionalidade de segurança nativa fornecido pela versão 4.2 do Android. O resultado não foi nada animador.

Antes de começar esses testes, Jiang conseguiu coletar 1.260 amostras de malware que afetam o sistema Android por meio do repositório 'Android Malware Genome Project'. Ele carregou todos esses aplicativos maliciosos para o mais novo tablet do Google, o Nexus 10. Para espanto de todos, apenas 193 deles foram detectados pelo antivírus, correspondendo assim a uma eficácia de cerca de 15%.

Um dos problemas apontados é que o mecanismo depende apenas de um sistema "em nuvem", deixando o celular vulnerável quando o serviço não estiver disponível.

Para efeito comparativo, e também para acrescentar credibilidade aos testes, Xuxian Jiang usou 10 soluções de antivírus (Avast, AVG, TrendMicro, Symantec, BitDefender, ClamAV, F-Secure, Fortinet, Kaspersky, e Kingsofts) para detectar os mesmos malwares, e os resultados variaram de 51% a 100%.

Com o lançamento dessa nova ferramenta de segurança nativa, o Google assumiu o compromisso de melhorar cada vez mais a sua plataforma móvel. Porém, tendo em vista os resultados desse estudo, ainda é preciso trabalhar muito para alcançar níveis mais elevados de eficiência.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.