Entenda por que o Google está matando a marca Android

Por Pedro Cipoli

Algumas tendências são tão sutis que acabam passando despercebidas. Uma delas é que o nome Android está sumindo com o passar do tempo. Atualmente, o objeto de desejo de muitos são os Galaxy ou Optimus. Mesmo o Google, responsável pelo desenvolvimento do Android, prefere utilizar a marca Nexus em seus aparelhos.

Linha Nexus

Na Mobile World Congress do ano passado o Android estava em todo lugar, inclusive com o maior espaço da feira, onde os fabricantes de aparelhos tinham alguns estandes aqui e ali. Neste ano o robozinho verde sumiu da MWC, e os destaques ficaram para os modelos de última geração das marcas, como o ASUS Padfone Infinity, LG Optimus G Pro e Huawei Ascend P2.

Mesmo o HTC One, smartphone que arrancou elogios quando foi lançado, teve como destaques a tela 1080p, interface gráfica HTC Sense 5 e alto poder de processamento com seu SoC Snapdragon 600, mas qual a versão Android que ele roda mesmo? Ou melhor ainda: isso realmente importa?

O Google está tendo um papel ativo nesse processo. A transição do Android Market para o Google Play é um bom exemplo disso, assim como o plano da empresa de abrir lojas para demonstrar aos consumidores o seu mais novo brinquedinho Google Glass (que. apenas a título de curiosidade, roda Android).

Google Glasses

Isso é um mau sinal? Muito pelo contrário! Quem quer comprar uma Ferrari ou um Porsche não está dando a mínima para qual é o motor, com quantos cavalos ou que tipos de freios eles possuem por terem a certeza de que é um modelo top de linha e que todos olharão para ele com um pouco de inveja.

No mundo da Apple as pessoas querem iPhones e iPads, não o iOS, e trocam seus aparelhos para terem o modelo mais avançado, não porque seu sistema operacional deixou de ser atualizado. Quem se importa com o iOS ou o Android? Somente os desenvolvedores, e é por isso que o Google quer que o Android se torne invisível, ou o "sistema que funciona mas ninguém conhece".

Marketshare Mobile

O que importa não é a versão do Android que o seu aparelho roda, e sim a experiência de usuário que ele é capaz de fornecer, e neste ponto o Google está tendendo para o caminho que a Apple sempre seguiu: você quer comprar o modelo mais avançado com os melhores recursos, pouco importando qual versão do sistema virá com o aparelho.

Com o avanço dessa tendência, no futuro, todos nós vamos querer comprar um Google. Simples assim, um Google, não o que vem com a versão de Android X ou possui um processador de Y núcleos ou Z gigabytes de memória RAM. Apenas um Google, o nome que ficará estampado no aparelho enquanto o Android ficará relegado ao fundo do cartão de memória.

Fonte: Gizmodo