Android Auto: sistema do Google para carros deve chegar ao Brasil em 2015

Por Redação | 23 de Março de 2015 às 18h15
photo_camera Divulgação

Já disponível nos veículos de alguns países, o Android Auto deve fazer sua estreia no Brasil no segundo semestre de 2015 – pelo menos de acordo com Daniel Holle, responsável pelo desenvolvimento da versão do sistema operacional móvel do Google para carros nos Estados Unidos.

Em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, Holle disse que ainda não há uma data específica para o lançamento da plataforma em terras brasileiras, uma vez que "depende do calendário de cada uma das montadoras", que precisam integrar o software aos seus automóveis. No mercado americano, por exemplo, a maioria das grandes montadoras do mundo, incluindo Audi, Bentley, Chevrolet, Ford, Honda, Jeep, Kia, Nissan e Volvo, já anunciou que seus carros vão oferecer suporte ao Android Auto.

Além disso, os primeiros produtos com o sistema do Google pré-instalado começaram a ser vendidos nos EUA na última quarta-feira (18). Os preços variam de US$ 699 (cerca de R$ 2.280) a US$ 1.399 (R$ 4.570).

Anunciado em junho do ano passado na conferência Google I/O, o Android Auto é a grande aposta do Google para o setor automotivo. Basicamente, o mecanismo leva quase todas as funções do sistema operacional móvel para o painel do carro. Isso inclui tocador de músicas, mensagens de texto, e claro, o serviço de mapas do Google Maps. Todas essas tarefas poderão ser ativadas usando apenas os comandos de voz do Google Voice, o que garante mais praticidade e segurança para o motorista do veículo.

A plataforma também permite conectar o celular ao carro por uma porta USB que transfere os conteúdos da tela do smartphone para o equipamento multimídia dos veículos. Para usar o Android Auto, o motorista precisa baixar um aplicativo no aparelho – app este que foi lançado na última semana, mas que ainda não está disponível no Brasil.

“Motoristas hoje tentam acessar aplicativos pelo celular enquanto estão dirigindo, de maneiras que não são sempre fluidas ou seguras. Com o Android Auto, a tela do celular fica bloqueada e algumas funções, como a exibição de vídeos do YouTube, não funcionam quando o carro está em movimento. Estamos trabalhando em novos recursos que permitirão que o veículo em si seja um dispositivo Android conectado", explicou Holle.

O Android Auto também é um concorrente direto do CarPlay, da Apple, que possui a mesma proposta: levar a experiência do iPhone para uma tela acoplada no próprio carro. O usuário pode fazer ligações, escrever mensagens de texto, navegar na internet, ouvir músicas por aplicativos como Spotify e iHeartRadio, acessar agenda telefônica, podcasts e realizar outras atividades por meio de um painel sensível ao toque ou utilizando comandos de voz pela Siri.

Nesse aspecto, Holle afirma que a disputa entre diferentes plataformas será benéfica, embora se discuta a possibilidade de fragmentação do mercado automotivo com a chegada desses sistemas embarcados, assim como já acontece com smartphones e relógios inteligentes. "A competição no mercado de celulares trouxe muitos benefícios para os usuários. Estamos animados em ver como isso poderá continuar no mercado de carros conectados", disse.

Via Folha de São Paulo

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.